Heleninha Costa

HELENA COSTA
(81 anos)
Cantora

☼ Rio de Janeiro, RJ (18/01/1924)
┼ Rio de Janeiro, RJ (12/04/2005)

Heleninha Costa foi uma cantora brasileira nascida em 18/01/1924, no Rio de Janeiro, considerada uma das integrantes do primeiro time de cantoras da Rádio Nacional, ídolo do rádio e da época do vinil. Mudou-se em 1924 com a família, quando ainda era pequena, para Santos, litoral de São Paulo.

Formada como contadora, iniciou sua carreira artística aos 14 anos, na Rádio Clube de Santos, em 1938. Pouco depois, transferiu-se para São Paulo, onde atuou na Rádio São Paulo, Rádio Record e Rádio Bandeirantes.

Em 1953, no Rio de Janeiro, casou-se com Ismael Neto, líder do conjunto Os Cariocas.

Em 1940, gravou seu primeiro disco na Columbia registrando a marcha "Sortes de São João" (Osvaldo Santiago e Alcyr Pires Vermelho), e o samba "Apesar da Goteira do Quarto" (Pedro Caetano e Alcyr Pires Vermelho).

Em 1941 gravou a marcha "Tocaram a Campainha" (Pedro Caetano e Alcyr Pires Vermelho) e o samba "Está Com Sono Vai Dormir".


Em 1943, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde atuou na Rádio Clube do Brasil e trabalhou como lady crooner e bailarina do Cassino da Urca, cantando também no Cassino Quitandinha. Neste ano, gravou na Columbia o samba "Exaltação à Bahia", de Chianca de Garcia (revistógrafo espanhol) e Vicente Paiva que, na época, era diretor musical do cassino e compunha sambas de exaltação para os finais "apoteóticos" dos shows da casa. "Exaltação à Bahia" transformou-se no grande sucesso da carreira da cantora.

Em 1944 gravou na Continental com o conjunto Milionários do Ritmo o samba "O Samba Que Eu Fiz" (Oscar Bellandi e Dilo Guardia).

Em 1945, convidada por César Ladeira, passou a atuar na Rádio Mayrink Veiga. Dois anos mais tarde, também a convite de César Ladeira transferiu-se para a Rádio Nacional, participando do programa "Música do Coração" e dos melhores musicais noturnos da emissora. No mesmo ano, gravou na Continental o samba "Você é Tudo Que Eu Sonhei" (Laurindo de Almeida e Del Loro) e o choro "Amor" (Laurindo de Almeida e Valdomiro de Abreu).

Em 1947, lançou o samba "Recordações de um Romance" (Bartolomeu Silva e Constantino Silva) e o maxixe "Ginga" (Sá Róris).

Em 1951 gravou dois de seus grandes sucessos, o bolero "Afinal" (Ismael Neto e Luis Bittencourt) e o fox "Cartas de Amor" (Young e Heyman), com versão de Alberto Ribeiro. No mesmo ano, gravou com César de Alencar o baião "Não Interessa Não" (José Menezes e Luiz Bittencourt) e o maxixe "Que é Isto" (Nestor de Holanda e Abelardo Barbosa).

Heleninha Costa prepara-se para cantar e César de Alencar deixa o palco.
Esteve presente no primeiro LP brasileiro lançado pela Sinter, com repertório para o carnaval, juntamente com Marion, Neusa Maria, Oscarito, Geraldo Pereira, Os CariocasCésar de Alencar e as Irmãs Meireles

Em 1952, gravou na RCA Victor "Baião Serenata" (Klécius Caldas e Armando Cavalcanti) e o bolero "Por Quanto Tempo?" (Marino Pinto e Don Al Bibi). No mesmo ano, gravou um de seus grandes sucessos, o samba "Barracão" (Luiz Antônio e Teixeira). No mesmo período, gravou com o radialista César de Alencar o samba-canção "Está Fazendo Um Ano" (Ismael Neto e Manezinho Araújo) e o choro "Me Dá, Me Dá" (Ismael Neto e Claudionor Cruz).

Em 1953, gravou os baiões "Santo Antônio Disse Não" (Haroldo Lobo e Milton de Oliveira), e com acompanhamento de Os Cariocas, "Que É Que Tu Qué" (Luiz Gonzaga e Zé Dantas).

Em 1954 gravou os sambas "Arranha Céu" (Luiz Antônio e Oldemar Magalhães) e "Morro" (Luiz Antônio).

Em 1956, registrou o samba canção "Eu Já Disse" (Lúcio Alves).

Em 1958 gravou os sambas "Estrela De Ouro" (Luiz Bandeira e José Batista) e "Por Que Choras?" (Alberto Rego e Alberto Jesus).

A partir do final dos anos 70, retirou-se definitivamente da carreira artística, não mais aceitando convites para quaisquer aparições públicas.

No começo da década de 80 foi homenageada com um LP da série "Era do Rádio", do selo Collector's quando mereceu texto escrito pelo crítico Ricardo Cravo Albin, que a considerou uma das mais belas vozes de todos os tempos da radiofonia carioca.

Heleninha Costa, uma das cantoras da Era do Rádio, morreu no esquecimento, no dia 12/04/2005, no Rio de Janeiro, aos 81 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos. Ela foi enterrada no Cemitério São João Batista, em Botafogo, Zona Sul do Rio de Janeiro.

Discografia

  • 1963 - Atchim (Deus Te Ajude) / Já Vou Embora (Chantecler, 78)
  • 1960 - Canta Heleninha Costa (Todamérica, LP)
  • 1959 - Exaltação à Brasilia / Turista (Todamérica, 78)
  • 1959 - Falaram / Poema Azul (Todamérica, 78)
  • 1958 - A Respeito da Lua / Não Tive Tempo (Copacabana, 78)
  • 1958 - Heleninha Costa (Copacabana, LP)
  • 1958 - L'Edera / Nós Nos Veremos Depois (Todamérica, 78)
  • 1958 - Estrela De Ouro / Por Que Choras? (Todamérica, 78)
  • 1957 - Pecadora / Revelarei (Copacabana, 78)
  • 1957 - Cinzas Do Amor  / O Chico Namorou (Copacabana, 78)
  • 1957 - Depois Da Rusga / O Lago Da Esperança (Copacabana, 78)
  • 1957 - Santa Maria / Desde Ontem (Copacabana, 78)
  • 1957 - É Luxo Só / Exaltação à Bahia (Copacabana, 78)
  • 1957 - A Grande Verdade / Madeira De Lei (Copacabana, 78)
  • 1956 - Sinfonia Do Samba / Quero Dizer-te (Copacabana, 78)
  • 1956 - Obrigado Reverendo / Eu Já Disse (Copacabana, 78)
  • 1956 - Rádio-Patrulha / Marcha Do Faquir (Copacabana, 78)
  • 1956 - Desespero / Manequins do Rio (Copacabana, 78)
  • 1955 - Malandro É O Gato / Você Está Chorando (Copacabana, 78)
  • 1955 - Juca  /Amor Brejeiro (Copacabana, 78)
  • 1954 - Arranha Céu / Você É Feio Ou Tá Doente (RCA Victor, 78)
  • 1954 - A Todos Consola / Aconteceu (RCA Victor, 78)
  • 1954 - Morro / Santo Amaro (RCA Victor, 78)
  • 1953 - Mais Do Que Eu / Vem Para Os Braços Meus (RCA Victor, 78)
  • 1953 - Que É Que Tu Qué / Santo Antonio Disse Não (RCA Victor, 78)
  • 1953 - Ninguém / Meu Amor Foi Embora (RCA Victor, 78)
  • 1953 - Por Quê / Agora É Tarde Demais (RCA Victor, 78)
  • 1952 - Já É Demais / A noite É Grande (Sinter, 78)
  • 1952 - Minha Cartilha / Voltarás (Sinter, 78)
  • 1952 - Fale Na Orelhinha De Cá / Jica-Jica (Sinter, 78)
  • 1952 - Está Fazendo Um Ano / Me Dá, Me Dá, Choro (RCA Victor, 78)
  • 1952 - Baião Serenata / Por Quanto Tempo? (RCA Victor, 78)
  • 1952 - Não Consigo Esquecer / Barracão (RCA Victor, 78)
  • 1952 - Cachorro Vai / Lar Vazio (RCA Victor, 78)
  • 1952 - Já Chorei / Dança Do Coça Roça (RCA Victor, 78)
  • 1951 - Afinal / Felicidade (Sinter, 78)
  • 1951 - Não Interessa Não / Que É Isto? (Sinter, 78)
  • 1951 - Vai Ter Casamento / Que Saudade (Sinter, 78)
  • 1951 - Noites Do Rio / Cartas De Amor (Sinter, 78)
  • 1950 - Jurei / Um Pouquinho De Carinho (Continental, 78)
  • 1950 - Única Saída / Junto De Ti (Sinter, 78)
  • 1950 - A Princesa Do Sião / Bonequinha Da Holanda (Sinter, 78)
  • 1950 - Macaco Me Lamba / Vida Vazia (Sinter, 78)
  • 1949 - Coitado Do Frederico / Fracassei (Continental, 78)
  • 1948 - A Serpente Do Faquir / Amanhece E Anoitece (Continental, 78)
  • 1947 - Recordações De Um Romance / Ginga (Continental, 78)
  • 1946 - Carinho Proibido / Perfume Da Terra (Continental, 78)
  • 1945 - Você É Tudo Que Eu Sonhei / Amor (Continental, 78)
  • 1945 - Remexe, Remexe / Não Posso Perdoar (Continental, 78)
  • 1944 - O Samba Que Eu Fiz (Continental, 78)
  • 1944 - Seja Breve / É, Seu Orlando! (Continental, 78)
  • 1943 - Ninguém Sabe O Que Quer / Exaltação À Bahia (Columbia, 78)
  • 1943 - Balança O Bebê / O Galo Do Vizinho (Continental, 78)
  • 1942 - Rebola Bola / Coração Ferido (Columbia, 78)
  • 1941 - Tocaram A Campainha / Está Com Sono Vai Dormir (Continental, 78)
  • 1940 - Sortes De São João / Apesar De Goteira No Quarto (Continental, 78)

Indicação: Miguel Sampaio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção!

Prezado amigo leitor, a partir desta data, 13/05/2019, não serão mais aceitos comentários anônimos. Portanto, não me responsabilizarei pelos comentários que alguém possa vir a fazer denegrindo a imagem de quem quer que seja e que esteja publicada neste blog.

Antes de fazer o seu comentário, se identifique e se responsabilize.

Desde já fico grato!