Sarah Kubitschek

SARAH LUÍSA GOMES DE SOUSA LEMOS
(87 anos)
Primeira Dama Brasileira

* Belo Horizonte, MG (05/10/1908)
+ Brasília, DF (04/02/1996)

Foi primeira-dama brasileira de 1956 a 1961, tendo sido a esposa de Juscelino Kubitschek, ex-presidente do Brasil, com quem teve duas filhas Márcia Kubitschek e Maria Estela Kubitschek.

Ao lado de Darcy Vargas e Ruth Cardoso, foi uma das primeiras-damas mais ativas do país, engajando-se em obras sociais.

Sarah Luísa Gomes de Sousa Lemos nasceu em uma família tradicional de Belo Horizonte, Minas Gerais. Era filha do deputado federal Jaime Gomes de Sousa Lemos e de Luísa Negrão. Tinha quatro irmãos: Amélia, Maria Luísa, Geraldo e Idalina. Sua irmã, Amélia, era casada com o político Gabriel de Rezende Passos. Através de sua mãe, ela tinha dois primos famosos: Francisco Negrão de Lima e Otacílio Negrão de Lima. O avô paterno de Sarah, José, era natural de Lousã, Portugal.


Sarah e Juscelino Kubitschek

Na juventude, ela se apaixonou perdidamente por Juscelino Kubitschek de Oliveira. Porém, quando ele decidiu fazer especialização em urologia na Europa, Juscelino Kubitschek rompeu o noivado e passou a não responder suas cartas. Apesar disso, aconselhada por sua mãe, Sarah resolveu esperá-lo.

No dia 30 de dezembro de 1931, SarahJuscelino casaram-se na cidade do Rio de Janeiro. No dia seguinte, comemoraram o casamento no ano novo no famoso Hotel Copacabana Palace.

Logo após o casamento passou a assinar Sara Luísa Lemos de Oliveira. Anos depois, quando Juscelino Kubitschek assumiu a presidência, seu nome passou a ser Sarah Luisa Lemos Kubitschek de Oliveira, para não assinar diferente do marido.

Sarah Kubitschek desejava ter muitos filhos, mas foram onze anos de tentativas até nascer Márcia Kubitschek. Anos depois, o casal adotou Maria Estela Kubitschek, um ano mais velha do que Márcia.

Uma mulher de forte temperamento, Sarah Kubitschek era uma mulher enérgica, determinada e bem-educada. Seu marido chegou a dizer que "às vezes tinha a impressão de que se casara com um tigre". Contudo, era conservadora e não gostava de política.

Dona Sarah foi a fundadora da Organização das Pioneiras Sociais, que realizou uma notável obra de assistencialismo em Minas Gerais. Incluía fundação de escolas no interior, creches e distribuição de roupas, alimentos, cadeiras de rodas e aparelhos mecânicos para deficientes físicos. Além disso, fundou hospitais-volantes na maioria dos Estados e hospitais flutuantes, vindos da Alemanha, para o Amazonas.

Depois de ficar viúva, ela passou a viver da pensão de Juscelino Kubitschek. Residia em um apartamento alugado na Capital, quando morreu aos oitenta e sete anos de idade, vítima de Parada Cardiorrespiratória.

Em sua homenagem, leva seu nome o Hospital Sarah Kubitschek, referência no tratamento de politraumatizados, com unidades em sete capitais brasileiras: Fortaleza, Macapá, Belo Horizonte, Brasília, São Luís, Rio de Janeiro, Belém e Salvador. Graças ao apoio de Sarah Kubitschek, existe hoje o Memorial JK, projetado por Oscar Niemeyer.


Dilermando Reis, Francisco Assis Barbosa, Juscelino Kubitschek, Sarah Kubitschek e Antônio Houaiss


Representações Na cultura e Homenagens

Sarah Kubitschek já foi interpretada pelas atrizes Marília Pêra (na fase madura) e Débora Falabella (na fase jovem) na minissérie "JK", de 2006, feita pela TV Globo.

Em 30 de julho de 1957 recebeu a Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo e em 28 de fevereiro de 1961 recebeu a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique.

Fonte: Wikipédia
#FamososQuePartiram #SarahKubitschek

2 comentários:

  1. Esta sim foi uma grande primeira dama do Brasil criou as Pioneiras social e e tem varios hospitais em sua homenagem por todo Brasil deixou um legado detalhe não era semi analfabeta e nunca mandou o povo enfiar as panelas no rabo. Partiu ha 21 anos ficou na historia.Esta sim foi uma grande primeira dama do Brasil criou as Pioneiras social e e tem varios hospitais em sua homenagem por todo Brasil deixou um legado detalhe não era semi analfabeta e nunca mandou o povo enfiar as panelas no rabo. Partiu ha 21 anos ficou na historia.

    ResponderExcluir
  2. Sara nos deixou em fevereiro de 1996 e não viveu para ver que no centenário de Juscelino Lula seria eleito e a senhora Marisa seria a primeira dama de 2003 a 2010. Foi tanta lama que ate o Rio doce se tornou em um gigantesco mar de lama. O Brasil esta vivendo um regime de orfandade, abandono e clausura e toda ternura foi removida e as muitas vidas estão em um barco a deriva.

    ResponderExcluir

Atenção!

Prezado amigo leitor, a partir desta data, 13/05/2019, não serão mais aceitos comentários anônimos. Portanto, não me responsabilizarei pelos comentários que alguém possa vir a fazer denegrindo a imagem de quem quer que seja e que esteja publicada neste blog.

Antes de fazer o seu comentário, se identifique e se responsabilize.

Desde já fico grato!