Zilda do Zé

ZILDA GONÇALVES
(82 anos)
Cantora e Compositora

* Rio de Janeiro, RJ (18/03/1919)
+ Rio de Janeiro, RJ (31/01/2002)

Começou a carreira artística apresentando-se na Rádio Transmissora na qual conheceu o compositor e seu futuro marido José Gonçalves. Pouco depois formou com ele a Dupla da Harmonia.

Em 1938, ano em que se casou, passou a atuar com o marido na Rádio Cruzeiro do Sul onde a dupla foi rebatizada pelo radialista Paulo Roberto em cujo programa atuavam como "Zé da Zilda e Zilda do Zé", abreviada para Zé e Zilda, como apareceram no selo dos discos que gravaram.

Em 1946, teve o samba-choro "Caboclo Africano" (Zilda Gonçalves e José Gonçalves), gravado na Continental por Jorge Veiga. Gravou com o marido as marchas "A Hora Da Onça" (Zilda Gonçalves Ari Monteiro) e "Morena Do Brasil" (Zilda Gonçalves Oldemar Magalhães).

Em 1952, gravou com o marido a marcha "Parafuso" (Zilda Gonçalves, José Gonçalves e Adelino Moreira). Nesse ano, o samba "Nosso Amor" e o mambo "Filho De Mineiro" (Zilda Gonçalves e José Gonçalves), foram gravados por Emilinha Borba na Continental.

Zilda do Zé e Zé da Zilda
Em 1953 a dupla gravou o bambu "Levou O Diabo" (Zilda GonçalvesJosé Gonçalves e O. Silva), e a marcha "Vendedor De Pirulito" (Zilda GonçalvesJosé Gonçalves e Diamantino Gomes). Nesse ano, gravou com José Gonçalves a marcha "Saca Rolha", que foi seu maior sucesso. Teve ainda a marcha "Quebra Mar" (Zilda GonçalvesJosé Gonçalves e Adelino Moreira), gravada por Marlene e "Pedido A São João" (Zilda GonçalvesJosé Gonçalves e Ricardo Galeno) também uma marcha, gravada pelos Vocalistas Tropicais, as duas na gravadora Continental.

Em 1954, gravou com José Gonçalves o samba "Destruiram O Morro" (Zilda GonçalvesJosé Gonçalves e Claudionor Santana), as marchas "Ressaca" (Zilda Gonçalves José Gonçalves), que obteve grande sucesso, e "Guarda Essa Arma" (Zilda GonçalvesJosé Gonçalves e Jorge Gonçalves). Ainda nesse ano, o Coro de Artistas da Odeon gravou os sambas "Império Do Samba" (Zilda Gonçalves José Gonçalves), um dos destaques do ano, e "Samba Do Assovio" (Zilda GonçalvesJosé Gonçalves e A. Silva).

Em 1955, teve a marcha "Ressaca" gravada em ritmo de tango pela Orquestra Típica de Osvaldo Borba. No mesmo ano, fez com José Gonçalves e Rubens Campos, a marcha "As Águas Continuam" e, com José Gonçalves, Adolfo Macedo e Airton Borges o samba "Vai Que Depois Eu Vou", gravadas pouco depois da súbita morte do marido, expressamente para homenageá-lo no carnaval. Especialmente o samba "Vai Que Depois Eu Vou" foi um dos mais cantados no carnaval daquele ano. Ainda em 1955, Nora Ney gravou com Ataulfo Alves e Suas Pastoras o samba "Vou De Tamanco" e Linda Rodrigues o samba "Olha No Espelho", parcerias com José Gonçalves, os dois na gravadora Continental. Gravou também o samba-canção "Meu Zé" (Zilda Gonçalves Ricardo Galeno), e com Lili, gravou "Maria Joaquina" (Zilda Gonçalves José Gonçalves).

Zilda do Zé e Zé da Zilda
Em 1956, continuou a gravar sozinha lançando pela Odeon os choros "Iaiá Faceira""Mambo Maçador" e os sambas "Laranja Madura" e "Perdoar", parcerias com José Gonçalves.

Em 1957, lançou o samba "Felicidade" (Zilda GonçalvesJosé GonçalvesMarcelino Ramos e Eli Campos), e a marcha "Eu Quero Beber" (Zilda GonçalvesJosé Gonçalvese e W. Goulart).

Em 1958, gravou o samba "Amor, Vem Me Buscar" (Airton Borges, Adolfo Macedo e Adilson Moreira), e a marcha "Feiura É Apelido" (Zilda GonçalvesJosé Gonçalves e Colatino). Mesmo depois da morte do marido, ela fazia questão de manter o nome dele nas parcerias, como homenagem.

Em 1959, sagrou-se vice-campeã do concurso para músicas carnavalescas da prefeitura do então Distrito Federal com o samba "Vem Me Buscar", de sua autoria e por ela mesma defendido em espetáculo realizado com grande presença de público no Teatro João Caetano.

Em 1960, gravou para o carnaval a marcha "Seu Talão Vale Um Milhão" (Nelson Trigueiro, S. Mesquita e Elpídio Viana), num disco que tinha ainda os sambas "Quero Morar" (Zilda GonçalvesF. Garcia e Vanda Rodrigues), e "Volte Mulher" (Zilda Gonçalves José Augusto), e a  marcha "Pente Fino" (Zilda GonçalvesRaul Sampaio e Haroldo Lobo).

Em 1961, gravou o samba "Vem Amor" (Zilda GonçalvesRomeu Gentil e Paquito), e a marcha "O Papagaio" (José Roberto Kelly, Mário Barcelos e Leda Gonçalves).

Em 1963, fez com Carvalhinho o samba "O Lelê Da Lalá" e com Jorge Silva o bolero "Meu Castigo" gravados por Roberto Audi na Copacabana.

Em 1972, fez sucesso no carnaval com a marcha "A Nega Ficou Maluca" (Zilda GonçalvesZé Filho e Carlos Marques).

Discografia

  • 1961 - Vem Amor / O Papagaio (Copacabana, 78)
  • 1960 - Quero Morar / Volte Mulher / Pente Fino / Seu Talão Vale Um Milhão (Athena, 78)
  • 1958 - Amor, Vem Me Buscar / Feiura É Apelido (Odeon, 78)
  • 1956 - Iaiá Faceira / Mambo Caçador (Odeon, 78)
  • 1956 - Laranja Madura / Perdoar (Odeon, 78)
  • 1956 - Felicidade / Eu Quero Beber (Odeon, 78)
  • 1955 - Meu Zé / Maria Joaquina (Odeon, 78)

Indicação: Miguel Sampaio

3 comentários:

  1. Que Maravilha! Saudades desse tempo de menina e moça, dos antigos carnavais de Zé e Zilda!
    Obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico contente que tenha gostado Lúcia. O próximo a ser incluso será o Zé da Zilda.

      Excluir
  2. Tive o prazer vela cantar na Radio Nacional ao lado do seu esposo Ze. Quando era criança minha saudosa mãe me levava - Recordo do Saca Rola.

    ResponderExcluir

Atenção!

Prezado amigo leitor, a partir desta data, 13/05/2019, não serão mais aceitos comentários anônimos. Portanto, não me responsabilizarei pelos comentários que alguém possa vir a fazer denegrindo a imagem de quem quer que seja e que esteja publicada neste blog.

Antes de fazer o seu comentário, se identifique e se responsabilize.

Desde já fico grato!