Gilberto Mestrinho

GILBERTO MESTRINHO DE MEDEIROS RAPOSO
(81 anos)
Industrial, Auditor Fiscal e Político

* Manaus, AM (23/02/1928)
+ Manaus, AM (19/07/2009)

Gilberto Mestrinho era amazonense de Manaus, mas passou boa parte da infância dele em Lábrea, na região do Alto Purus, para onde foi com os pais Thomé de Medeiros Raposo e Balbina Mestrinho de Medeiros Raposo.

Filho do casal Tomé de Medeiros Raposo e Balbina Mestrinho de Medeiros Raposo. Industrial e auditor fiscal, foi prefeito de Manaus (1956-1958) durante o governo Plínio Coelho de quem foi Secretário de Economia e Finanças ao deixar a prefeitura. Filiado ao PTB foi eleito governador do Amazonas em 1958. Durante seu mandato transferiu seu domicílio eleitoral para o Território Federal do Rio Branco e foi eleito deputado federal em 1962 sem que precisasse renunciar ao governo.

Sua trajetória política, entretanto, foi interrompida pelo Ato Institucional Número Um que cassou o seu mandato em 9 de abril de 1964 na primeira leva de expurgos ditada pelos militares. Gilberto Mestrinho passou então a residir no Rio de Janeiro.

Com o fim do bipartidarismo mediante a reforma política aprovada pelo governo João Figueiredo em novembro de 1979, retornou ao meio político com uma breve passagem pelo PTB antes de integrar-se ao PMDB, mudança ocorrida em razão da proibição das coligações partidárias, o que tornou vulnerável sua opção anterior.

Em 1982 foi eleito governador do Amazonas no primeiro pleito direto em vinte anos. Sua ação como administrador permitiu a vitória de seu candidato Manoel Ribeiro à prefeitura de Manaus em 1985 e a eleição de Amazonino Mendes como seu sucessor em 1986. Tais fatos, porém, não o livraram de uma derrota em 1988 quando perdeu a prefeitura de Manaus para o então candidato do PSB, Artur Virgílio Neto.

Eleito para o seu segundo mandato de governador em 1990 cumpriu integralmente seu mandato e em 1998 foi eleito senador pelo Amazonas. Na Câmara Alta do Parlamento foi três vezes consecutivas (1999-2007) presidente da Comissão Mista de Orçamento.

Em sua última tentativa de concorrer a um cargo público lançou-se como candidato a reeleição ao Senado pelo PMDB do Amazonas, partido do qual era presidente estadual, mas ficou apenas em terceiro lugar ao final do pleito.

Foi recentemente homenageado pela Câmara Municipal de Manaus pelos relevantes serviços prestados à cidade de Manaus e ao Estado do Amazonas.

Em sua juventude, a fama de conquistador rendeu-lhe o carinhoso apelido, entre os amazonenses, de "Boto Tucuxi": em referência à lenda do boto que engravidava as caboclinhas pelo interior do Amazonas.

Morreu em 19/07/2009 no Hospital Prontocord onde estava internado havia quinze dias com Insuficiência Renal Crônica. Apesar da doença, Gilberto Mestrinho morreu por Complicações Cardíacas e há alguns meses, retirou um nódulo maligno do pulmão.

Fonte: Wikipédia


4 comentários:

  1. Uma correçao marcos carvalho,gilberto mestrinho nasceu na cidadezinha de labrea no amazonas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amigo!

      O ex-governador Gilberto Mestrinho era amazonense de Manaus, mas passou boa parte da infância dele em Lábrea, na região do Alto Purus, para onde foi com os pais Thomé de Medeiros Raposo e Balbina Mestrinho de Medeiros Raposo.

      Agradeço a atenção e espero que volte sempre ao blog!

      Abraços

      Excluir
  2. Vivo ou morto gilberto mestrinho foi um grande heroi,amigo,companheiro,um exemplo de pai,foi o unico governador de manaus qe no dia das crianças destribuia presentes,foi o unico governador que se preocupava com a saúde publica,foi o unico governador que construiu inumeras escolas,parabens gilberto mestrinho que Deus a tenha em seu seio,descanse em paz

    ResponderExcluir
  3. O meu saudoso avô na decada de 50 chegou do acre e adquiriu um terreno no bairro de santo antonio em manaus e construiu uma casa de madeira,ele legalizou todos documentos do terreno e depois de 1 mes apareceu um delegado de policia dizendo que o terreno era dele e que o meu avô com toda sua familia de 8 filhos todos pequenos deveriam deixar o terreno em 48 hrs.O meu avô se desesperou a tal ponto de implorar que nao fosse despejado pois ele nao sabia que aquele lugar tinha dono,o meu avô resolveu entao esperar o sr. Gilberto mestrinho na saida de sua mansao ( na epoca ele estava no seu 1 mandato como governador,o meu avô abordou o sr gilberto na saida e contou tudo que se passava que iria ser despejado e o sr. Gilberto so ouviu e a unica palavra que ele disse: VOLTE PRA SUA CASA,o meu avô voltou triste porque sentiu que o sr. Gilberto nao sentiu nenhum interesse na sua causa,alias o governador cheio de problemas na kbç pra ser resolvido iria lembrar dele? Mas o meu avô se enganou feio,o sr. Gilberto no mesmo dia mandou o procurador dele ir no local para legalizar todos documentos do terreno e deixou uma ordem que ninguem poderia despeja-lo de la pq apartir daquele dia o terreno era do meu avô....somos muito grato a esse cidadao chamado GILBERTO MESTRINHO

    ResponderExcluir

Atenção!

Prezado amigo leitor, a partir desta data, 13/05/2019, não serão mais aceitos comentários anônimos. Portanto, não me responsabilizarei pelos comentários que alguém possa vir a fazer denegrindo a imagem de quem quer que seja e que esteja publicada neste blog.

Antes de fazer o seu comentário, se identifique e se responsabilize.

Desde já fico grato!