Mostrando postagens com marcador Dublador. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Dublador. Mostrar todas as postagens

Telmo de Avelar

TELMO PERLE MÜNCH
(93 anos)
Ator, Dublador, Tradutor e Diretor de Dublagem

☼ Curitiba, PR (02/10/1923)
┼ Rio de Janeiro, RJ (09/01/2017)

Telmo Perle Münch, também conhecido como Telmo de Avelar, foi um ator, dublador, tradutor e diretor de dublagem brasileiro nascido em Curitiba, PR, no dia 02/10/1923.

Telmo teve uma infância pobre e de muita necessidade. Em 1938, aos 14 anos, foi levado por seu irmão, que mais tarde se tornaria pintor, ao teatro participar de um pequeno grupo amador. Lá fazia apenas figuração, mas por uma casualidade, um dos atores que ia interpretar na peça não pôde estar no dia e Telmo foi chamado para representar em seu lugar. Fez o teste e foi aprovado. A partir daí todos os dias estudava seu papel até altas horas da noite. Atuou na peça e a partir daí começou sua carreira na dramaturgia.

Dois anos depois sua família mudou-se para Recife, PE, e Telmo a acompanhou. Permaneceu 2 meses em Recife e partiu para João Pessoa, PB, onde ficou 1 ano. De volta a Recife permaneceu por mais 1 ano.

Por não ter conseguido mais estudar nesse período, pelo fato de seu material de estudo ter ficado em Curitiba, e seus familiares lá presentes nunca os terem mandado para o nordeste, Telmo resolveu se mudar sozinho para São Paulo, por volta do final de 1942, com apenas o ensino fundamental cursado. Em São Paulo conseguiu um emprego no comércio, o qual o manteve.

Por apreciar que tinha propensão para a arte, Telmo começou a pensar como poderia expressar isso. Foi aí que veio a ideia de ingressar no rádio. Um dia ele viu o anuncio de uma empresa de publicidade chamada Standard, no jornal, procurando artistas para gravarem para o rádio, histórias de aventuras de "Tarzan" e de "O Vingador". Se interessou e foi buscar o papel. Conseguiu e trabalhou por apenas 20 dias, pois suas escalações eram sempre como vilão, e ele tinha dificuldade com esses papeis já que sua inflexão artística caia para interpretações de galãs e personagens do gênero. Após esses dias, foi procurar um novo emprego e conseguiu uma proposta para trabalhar na Rádio América, na qual aceitou de prontidão.

Essa época foi uma das mais difíceis na vida de Telmo. O dinheiro que ganhava do rádio não era suficiente para pagar o aluguel e ainda se alimentar, então tinham dias que comia apenas pão.

Por não aguentar a situação, Telmo percebeu que não era ali que estavam as suas oportunidades, e então partiu para o Rio de Janeiro. Lá começou a fazer pequenos trabalhos para a Rádio Clube do Brasil, Rádio Cruzeiro do Sul e Rádio Mauá.

Quando a necessidade mais uma vez apertou, Telmo começou a vender algumas de suas peças de teatro para a Rádio Globo. Após isso, recebeu um convite de Olavo de Barros para ingressar no elenco de rádio-teatro da Rádio Jornal do Brasil. Após uma série de casualidades Olavo de Barros se retirou da rádio e levou Telmo consigo para a Rádio Tamoio, com um ordenado 4 vezes maior do que recebia na Rádio América em São Paulo.


Permaneceu na rádio até 1948, quando se transferiu para a Rádio Guanabara. Um tempo depois recebeu um convite da Rádio Tamoio no qual aceitou e ingressou novamente na emissora, fazendo lá longa carreira.

Entre os trabalhos que realizou na Rádio Tamoio está "São Jorge Glorioso", de Anselmo Domingos ao lado de Sônia Barreto, Olavo de Barros, Naney Wanderley, Carlos Medina e Julio Lousada em 1960.

O personagem Drº Napoleão Laureano no programa "Pausa Para Meditação", de Luiz Quirino, que Telmo interpretou ao lado de Heloísa Mafalda, e "Encontro Com a Morte", também de Luiz Quirino, também ao lado de Heloísa Mafalda, ambas as novelas fazendo parte da série de novelas da vida real que a emissora lançava em 1951. No mesmo ano participou de outras duas rádio-novelas, uma delas religiosa chamada "Uma Luz Dentro da Noite", de José Fernandes, ao lado de Hilda Barros, Zezé Macedo, Paulo Célio e Márcia Gonçalves, e a outra intitulada "Noite Sem Fim", de Janete Clair, ao lado de Ribeiro Fontes, Aliomar de Matos e Zélia Guimarães, rádio-novela essa que pouco tempo depois transferiu-se para a Rádio Clube do Brasil com o mesmo elenco.

Ainda em 1951, trabalhou novamente ao lado de Olavo de Barros, na qual Olavo dirigia a peça adaptada por Telmo, chamada "O Homem de Ouro", apresentada na TV Tupi e com o elenco de Fernanda Montenegro, Ednaldo Lopes, Sonia Ketter, Magalhães Graça e Afonso Soares. Ingressou na Rádio Clube do Brasil e participou da novela de Janete Clair, "Drº Ninguém", ao lado de Wolner Camargo, Mildred dos Santos, Marilene Alves e Antonio Nobre. Ainda em 1951 é entrevistado pela Revista do Rádio na edição 073 de março.

Em 1954 foi contratado como diretor de rádio-teatro na Rádio Mundial.

Em 1955, foi contrato pelas Organizações Victor Costa, dona da Rádio Excelsior e TV Paulista, por um ano e meio.

Por estar em São Paulo, chegou a fazer alguns trabalhos no teatro, como na peça "Zero a Esquerda", de Mário Lago e José Wanderley, ao lado de Oscarito, Maria Muniz, Déa Selva, e grande elenco, em 1958, no Teatro São Paulo, entre outros trabalhos.

Telmo retornou ao Rio de Janeiro no final dos anos 1960 e por volta dessa época também começou a escrever peças para a TV Continental, como "Aimé", e também a participar de muitas, como no programa "Teatro de Ontem" na peça "Dindinha", de Matheus da Fontoura, ao lado de Beyla Genauer, Wanda Marchetti, Mário Alinari, Manoel Martins e Nilton Valério"O Corcunda de Notre Dame" de Victor Hugo e adaptado por Luiz Oswaldo, ao lado de Nestor Montenar, Teresa Amayo, Jardel Mello, Francisco Milani, Ayrton Cardoso, e grande elenco; "Grito de Terror" de Andrew L. Stone, adaptado por Antônio Seabra, ao lado de Roberto Maya, José Miziara, Ariel Miziara, Ayrton CardosoFrancisco Milani e grande elenco, ambas em 1960; "Dama da Madrugada" ao lado de Ariel Miziara e Wanda Marechetti, e "Uma Casa de Loucos", adaptação do conto de Edgar Allan Poe, com Jardel Mello e Wanda Marchetti no elenco, ambas em 1961, entre muitas outras.

Telmo também se especializou em canto. Em certas ocasiões participava de programas de canto, como em 1966 que participou do programa "Recital de Poesia e Música" da Rádio Ministério da Educação e Cultura, cantando sonetos de Camões, selecionados por Valmir Aiala. Ainda por volta de 1966, deu aula de teatro na Escola de Cinema da Associação Brasileira de Arte (ABAC) situada na Rua Timóteo da Casta, 276 no Leblon.

Telmo de Avelar e a rádio-atriz Maria Muniz

No cinema participou do filme "...Und der Amazonas Schweigt" em 1963.

Além de escrever peças e novelas para a televisão, Telmo também participou de novelas como "Irmãos Coragem" (1970), "Nina" (1977), "Pai Herói" (1979) e "República" (1989). Além das novelas, fez várias participações em séries da TV Globo, como "Carga Pesada" (1979).

No Teatro que é sua origem, participou de diversas peças como "O Telefone" (1960) readaptado e interpretado por Telmo e Tereza Amayo; "A Sopa e a Moça" (1970) ao lado de Yoná Magalhães, Carlos Alberto e Ida Gomes; "Tela de Aranha" (1970), de Agatha Christie; "O Julgamento de Otelo" (1983), com texto de Lyad de Almeida e Carlos Couto, ao lado de Rodolfo Mayer, Cristina Nunes, Lícia Magna, Isaac Bardavid e grande elenco em 1983, entre outros.

Em 2002, as canções traduzidas por Telmo para o longa "A Bela e a Fera", foram utilizadas no musical da Broadway de mesmo nome estreado no Brasil. O musical teve adaptação de Cláudio Botelho.

Na dublagem entrou em final dos anos 1960, passando principalmente pela Herbert Richers aonde foi diretor e tradutor. Por volta de 1966 teve uma breve passagem por São Paulo, aonde dublou na AIC, participando de séries como "Perdidos no Espaço" e "O Túnel do Tempo". Retornou ao Rio de Janeiro por volta de de 1967/1968. Além dos trabalhos na Herbert Richers, trabalhou por algum tempo também na Dublasom Guanabara.

Sua facilidade e prática para criar, adaptar e traduzir textos para peças de teatro e rádio-novelas, fez de Telmo um especialista no tema, o que o ajudou muito quando ingressou na Herbert Richers e posteriormente como responsável Disney no Brasil com o trabalho de tradução e adaptação de textos para a dublagem. Foram 50 anos dedicados a tradução e adaptação para a dublagem para televisão e cinema.

Em 1964 foi convidado para dirigir e traduzir o longa "A Espada Era a Lei", no qual a partir daí ficou responsável pela direção e tradução dos longas-metragens Disney. O longa foi dublado na Riosom, que ficou responsável por dublar os clássicos da Disney no Brasil, empresa essa também que disponibilizava os estúdios para a gravação de discos da empresa Elenco de Aloysio de Oliveira, cantor e compositor ligado a Disney.

Em 1965 foi redublado "A Branca de Neve e Os Sete Anões" e relançado nos cinemas de todo o país. O mesmo aconteceu em 1966 com "Pinóquio". Telmo foi o responsável por essas redublagens, também participando na empresa da redublagem de "Bambi". "Mogli, o Menino Lobo" também ficou a cargo do mesmo estúdio de dublagem. Com o fechamento da empresa no início dos anos 1970, Telmo foi dirigir "Aristogatas" na Somil, empresa de Abelardo Barbosa e seu irmão Jarbas Barbosa, que se dedicava apenas ao cinema nacional.

Em 1972 deu início a Tecnisom de Carlos De La Riva, antigo dono da Ziv, empresa de dublagem pioneira no Rio de Janeiro. Os estúdios funcionam no Museu de Arte Moderna (MAM) no Rio de Janeiro, e a partir daí a empresa ficou sendo selecionada para as dublagens Disney, como a redublagem de "Dumbo", "Robin Hood", "Puff - O Ursinho Guloso" (e seus curtas), e "Bernardo e Bianca".

Com o fechamento da Tecnisom no final dos anos 1970, a Disney escolheu a Herbert Richers novamente para dublar seus longas, entre eles "O Cão e a Raposa", "O Natal do Mickey Mouse", "O Caldeirão Mágico" e "As Peripécias do Ratinho Detetive", sempre com Telmo de Avelar no comando.

Com a fundação da Delart, nova empresa de Carlos De La Riva que deu continuidade ao trabalho da Tecnisom, a Disney voltou a trabalhar com seu proprietário, começando por "Oliver e Sua Turma". Nesse período Telmo de Avelar dirigiu os mais famosos filmes da Disney, como "A Pequena Sereia", "A Bela e a Fera", "Aladdin", "O Rei Leão" e "Pocahontas".

Magalhães Graça, Ida Gomes, Selma Lopes, Antonieta Matos e Telmo de Avelar
Em 1995 entrou em seu lugar Garcia Junior, que comandou a Disney até 2011. Telmo de Avelar esporadicamente dirigia e traduzia alguma coisa para a empresa, principalmente continuações de filmes que havia dirigido anteriormente.

Entre seus trabalhos como dublador estão os personagens em desenhos, como Pateta nos anos entre 1970 e 1980, e nas duas dublagens do longa-metragem "O Conto de Natal do Mickey", o Xerife Sam Brown no longa-metragem "Nem Que a Vaca Tussa", Maggot no longa-metragem "A Noiva Cadáver", o primeiro narrador em "Os Super Amigos", Statler no longa-metragem "Muppets na Ilha do Tesouro", Cozinheiro Louis no longa-metragem "A Pequena Sereia", Toupeira no longa-metragem "Bernardo e Bianca", Pancinha em "Ursinhos Gummy", Ludovico Von Pato em curtas-metragens da "Turma do Mickey" dublados entre os anos 1960 e 1970, e na série animada "TV Quack Pack", Charlie Chan em "Charlie Chan", Trombada em "Ursuat", entre outros.

Em filmes foi a voz do ator James Stewart na segunda dublagem de "Janela Indiscreta", "O Homem Que Matou o Facínora" e "O Último Pistoleiro", alem dos atores Bert Remsen interpretado por Red Malone em "O Dia da Liberdade", Jamesir Bensonmum interpretado por Alec Guinness em "Assassinato Por Morte", Gray Suchett interpretado por Tom Bower em "Terra Fria", Landon interpretado por Robert Gunner em "O Planeta dos Macacos", O Papa interpretado por John Gielgud em "Elizabeth", Ilyich Kamenev interpretado por Laurence Olivier em "As Sandálias do Pescador", Srº Olivaras interpretado por John Hurt em "Harry Potter e a Pedra Filosofal", Padre Kovak interpretado por Rod Steiger em "Fim dos Dias", Major Henry interpretado por Bruce Cabot em "Os Comancheros", Irv interpretado por Peter Falk em "O Vidente", entre outros.

Como diretor de dublagem Telmo de Avelar começou inicialmente na Herbert Richers, depois partindo para a Tecnisom, e posteriormente para a Delart aonde mais fez trabalhos do gênero.

Entre os filmes que dirigiu estão "Charlie Brown e Snoopy" (1969), "A Fantástica Fabrica de Chocolate" (1ª Dublagem), "Hope Springs - Um Lugar Para Sonhar", "A Vida Marinha Com Steve Zissou", "Fim dos Dias", "Mudança de Hábito II - Mais Loucas no Convento", "Uma Carta de Amor", "Confissões de Uma Adolescente Em Crise", "Bater ou Correr", "Sexta-Feira Muito Louca", "O Treinador", "A Boneca Que Virou Gente", "O Livro da Selva", "Drº Mumford - Culpa Ou Inocência?", "Ben-Hur", "El Cid" (2ª Dublagem), "Os Dez Mandamentos", entre outros.

Em séries que dirigiu estão "Família Dinossauros", "Um Anjo Muito Louco", "Mudança de Comportamento", "Zack & Cody: Gêmeos Em Ação", entre outros.

Em desenhos animados dirigidos, a maioria são dos estúdios Disney, como "101 Dálmatas", "A Espada Era a Lei", "Branca de Neve e os Sete Anões" (2ª Dublagem), "Pinóquio" (2ª Dublagem), "Dumbo" (2ª Dublagem), "Bambi" (2ª Dublagem), "Mogli - O Menino Lobo" (1ª e 2ª Dublagem), "Aristogatas", "Robin Hood", "Bernardo e Bianca", "O Cão e a Raposa", "O Natal do Mickey Mouse", "O Caldeirão Mágico", "As Peripécias do Ratinho Detetive", "Oliver e Sua Turma", "A Pequena Sereia", "DuckTales", "DuckTales, O Filme: O Tesouro da Lâmpada Perdida", "Bernardo e Bianca na Terra dos Cangurus", "A Bela e a Fera", "Aladdin", "Rei Leão", "O Retorno de Jafar", "Aladdin e Os 40 Ladrões", "Pocahontas", "O Rei Leão II - O Reino de Simba", "Cinderela II: Os Sonhos Tornam-Se Realidade", "Rei Leão III - Hakuna Matata", "O Cão e a Raposa II", "Cinderela III - Uma Volta no Tempo", "Sonic X", entre muitos outros.

Como tradutor Telmo de Avelar também realizou ótimos trabalhos, como em todos os longas da Disney citados acima, pois sempre traduzia os filmes que lhe eram encarregado de dirigir.

Em filmes traduziu "Charlie Brown e Snoopy" (1969), "Fantástica Fabrica de Chocolate" (1ª Dublagem), "Fim dos Dias", "Mudança de Comportamento", "Bater ou Correr", "O Treinador", entre outros.

Morte

Telmo de Avelar faleceu na madrugada de segunda-feira, 09/01/2017, aos 93 anos. A informação da morte foi confirmada por Cida Cabral, representante do Retiro dos Artistas, no Rio de Janeiro, onde Telmo de Avelar morava há três anos.

De acordo com Cida, Telmo de Avelar estava internado no Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, desde sexta-feira, 06/01/2017, após ter algumas complicações no seu tratamento contra um câncer.

"Ele já estava com problema pulmonar, muita dor nas pernas, com desidratação. Foi um acúmulo de coisas", relatou a representante do Retiro dos Artistas. Ela informou ainda que Telmo de Avelar deixou uma filha, Isabela, que acompanhou o pai nos últimos dias no hospital.

Fonte: Wikipédia, Casa da Dublagem e Ego
Indicação: Miguel Sampaio

Silvio Navas

SÍLVIO BENEDITO GUIMARÃES NAVAS
(74 anos)
Ator, Compositor, Dublador e Diretor de Dublagem

☼ Santos, SP (15/03/1942)
┼ Santos, SP (29/07/2016)

Silvio Benedito Guimarães Navas foi um ator, dublador e diretor de dublagem brasileiro nascido em Santos, SP, no dia 15/03/1942.

Começou a carreira na TV Excelsior. Também fez cinema e estreou no filme "2000 Anos de Confusão" em 1969. Depois fez o filme "Os Maridos Traem... e As Mulheres Subtraem" em 1970, um filme do gênero pornochanchada, trabalhando ao lado de Ney Latorraca que estava estreando pela primeira vez no cinema, e compôs com David Cardoso a música "Aleluia" para este filme. Trabalhou também em "Audácia", em 1970, novamente ao lado de Ney Latorraca, José Mojica Marins, entre outros.

Na dublagem, Silvio Navas entrou em 1960 à convite de Older Cazarré, na GravaSon, futura AIC São Paulo. Na empresa participou de alguns desenhos, como "Os Flintstones", mas sua atuação começou a ser mais forte no final dos anos de 1960 com o fim da TV Excelsior. Nessa época participou de várias séries da empresa, como "Viagem Ao Fundo do Mar", "A Feiticeira", "O Besouro Verde", entre outros.

No início dos anos 1970, foi trabalhar como diretor de dublagem na CineCastro paulistana. Dublou em São Paulo até 1977, quando mudou-se para o Rio de Janeiro e começou a trabalhar na Herbert Richers. Também entrou para a Tecnisom, Telecine, Vti e Delart, e nos anos de 1990 entrou para a Cinevídeo.


Ficou 21 anos no Rio de Janeiro, tendo voltado em 1998 para São Paulo, aonde continuou carreira na dublagem até por volta de meados dos anos de 2000, trabalhando principalmente na Álamo e Dublavídeo.

Nos anos 2000, mudou-se para Santos, no litoral paulista. Na mesma época dirigia um curso de dublagem na cidade.

Silvio Navas sempre dublou de tudo, mas sua voz sempre caiu bem para desenhos, como o Esquilo Secreto em "Esquilo Sem Grilo". O violão Darkseid em "Os Super Amigos". Foi a segunda voz do comedor de hambúrgueres Dudu em "Popeye", nas dublagens realizados do mesmo nos anos 1970 e 1980.

Também foi o conhecido violão Mumm-ra em "Thundercats", um de seus personagens mais conhecidos até os dias de hoje. Em "Os Smurfs" fez a voz do Papai Smurf, do Vaidoso e do Fazendeiro. Em "Futurama" substituiu Aldo César que havia falecido. No papel de Bender, foi a voz mais conhecida do Robô. No desenho dos anos de 1990 da "Família Addams" foi o Gómez. Em "Dragon Ball Z" foi a segunda voz do Pai da Chichi, o Rei Cutelo. Também o fez na versão da TV Globo de "Dragon Ball" e no filme "Dragon Ball Z - O Resgate de Gohan".

No cinema Silvio Navas já dublou os mais diversos atores, como Joe Pesci em clássicos como "Esqueceram de Mim", "Esqueceram de Mim 2 - Perdido em Nova York" e "Meu Primo Vinny"; o ator Kirk Douglas em "Ambição Acima da Lei", "Assim Estava Escrito", "Homem Sem Rumo", "Os Indomáveis - Draw" e "Sete Dias de Maio"; Humphrey Bogart em "Casablanca", "Horas de Desespero", "Não Somos Anjos", "O Falcão Maltês" e "Seu Último Refúgio"; Marlon Brando em "O Poderoso Chefão" (Primeira Dublagem), "Bandoleiros", "O Último Tango em Paris", "O Selvagem" e "Um Novato na Máfia"; John Goodman em "Os Flintstones - O Filme", "As Aventuras de Rocky & Bullwinkle", "De Que Planeta Você Veio", "O Maioral" e "O Poder da Corrupção"; Fred Astaire em "Bonita Como Nunca", "Ver, Gostar e Amar" e "Inferno na Torre". Além disso já dublou Omar Shariff, Spancer Tracy, Eli Wallach, Charlie Chaplin, entre outros.


Na trilogia "Star Wars", foi a voz de Darth Vader que originalmente era feita por James Earl Jones, nos filmes "Star Wars - Episódio IV - Uma Nova Esperança", "Star Wars - Episódio V - O Império Contra-Ataca" (Primeira Dublagem) e "Star Wars - Episódio VI - O Retorno de Jedi" (Primeira Dublagem).

Em séries foi a voz de Whizzer interpretado Paul Dooley na primeira dublagem de "Alf - O Eteimoso", Marujo Patterson interpretado por Paul Trinka a partir da 3ª temporada de "Viagem ao Fundo do Mar", Promotor Frank P. Scanlon interpretado por Walter Brooke em "O Besouro Verde", a primeira voz de Charles Ingalls interpretado por Michael Landon em "Os Pioneiros", Maurice Evans interpretando a si mesmo na 4ª temporada de "A Feiticeira", Drº Elias Huer interpretado por Tim O'Connor em "Buck Rogers no Século XXV", Sr. John Walton interpretado por Ralph Waite em "Os Waltons", Andrew Cooper interpretado por Dick Sargent em "Daniel Boone", além de participações em séries como "M.A.S.H.", "Magnum", entre outras.

A última produção que participou foi em 2007 na Dublavídeo, minissérie colombiana, "Zorro: A Espada e a Rosa", dublando o Sargento Garcia interpretado por César Mora.

Em 2014, participou do filme "O Indulto", ao lado dos dubladores Romeu D'Ângelo, Phillipe Maia e Ricardo Schnetzer, interpretando um Juiz.

  
Silvio Navas também era compositor, fazia parte da Sociedade Independente de Compositores e Autores Musicais (SICAM).

Silvio Navas também fez teatro. Participou de muitas peças infantis ao lado do amigo Older Cazarré. Entre elas está "O Gato de Botas", estreada no Teatro Veredas em 21/02/1970, com direção de Older Cazarré, ao lado de Gilberto Baroli, Aliomar de Matos, Maralise Tartarine e Célia Paula.

Silvio Navas foi casado com a atriz e dubladora Lígia Rinelli nos anos de 1970, não durando mais de 2 anos o casamento. Silvio Navas não teve filhos, e morava com um sobrinho em Santos.

Em 2012 sofreu um acidente, quebrou o fêmur e ficou muito tempo internado em um hospital do Sistema Único de Saúde (SUS) esperando cirurgia. Drama esse que foi acompanhado por seus seguidores nas redes sociais.

Em final de 2014, foi diagnosticado com Mal de Alzheimer, no qual muito provavelmente o fez se afastar das redes sociais e se isolar em seu apartamento em Santos.

Silvio Navas faleceu na noite de sexta-feira, 29/07/2016, aos 74 anos, em Santos, no litoral sul de São Paulo. A causa da morte não foi divulgada.

Trabalhos

  • Esquilo Secreto em "O Esquilo Sem Grilo"
  • Narrador em "Dinamite, o Bionicão"
  • Scooby-Dão em "Scooby-Doo Show" e que fazia parte de "Os Assombrados em Ho-Ho-Límpicos"
  • Gómez Addams em "Família Addams", desenho anos 1990
  • Darkseid e Vulcão Negro em "Super Amigos"
  • Narrador e todos os personagens em "Família Barbapapa"
  • Dudu (2ª voz) em "Popeye"
  • Spike e personagens secundários em "Tom & Jerry" (1ª dublagem)
  • Mumm-ra em "Thundercats"
  • Cat R. Waul em "Um Conto Americano: Fievel Vai Para o Oeste"
  • Rei Cutelo (2ª voz) e Rei Cold (2ª voz) em "Dragon Ball Z"
  • "Rei Cutelo" em "Dragon Ball" (TV Globo) e "Dragon Ball Z - O Resgate de Gohan"
  • Son Gohan em "Dragon Ball" (TV Globo)
  • Papai Smurf, Vaidoso e Fazendeiro em "Os Smurfs"
  • Bender (2ª voz) em "Futurama"
  • Chefe em "Teamo Supremo"
  • Imperador Geldon em "O Pirata do Espaço"
  • Monstro Estelar em "Silverhawks"
  • Morcegão em "As Peripécias do Ratinho Detetive"
  • Cat R. Waul em "Um Conto Americano: Fievel Vai Para o Oeste"
  • Rato em "O Natal do Mickey Mouse"
  • Coruja em "Bernardo e Bianca"
  • Percival C. McLeach em "Bernardo e Bianca na Terra dos Cangurus"
  • Deslock em "Patrulha Estelar"
  • Cy-Kill em "Gobots"
  • Trailbreaker (1ª voz) em "Transformers"
  • Coletor de Doações em "O Conto de Natal do Mickey"
  • Gripper em "Rambo" (Desenho)
  • Ketchum, o Crocodilo em "A Nossa Turma"
  • Chefe em "Disque M Para Macaco" - "O Laboratório de Dexter"
  • Zazu (1ª voz) em "Timão e Pumba"
  • Multi-Faces e Granamyr em "He-Man"
  • Dijon em "Ducktales: O Tesouro da Lâmpada Perdida"
  • Barney Bear em "Biblioteca de Desenhos Animados"
  • Whizzer (Paul Dooley) em "Alf - O Eteimoso" (1ª dublagem)
  • Marujo Patterson (Paul Trinka) em "Viagem ao Fundo do Mar" (3ª e 4ª temporadas)
  • Promotor Frank P. Scanlon (Walter Brooke) em "O Besouro Verde"
  • Charles Ingalls (Michael Landon) em "Os Pioneiros" (1ª voz)
  • Maurice Evans (Maurice Evans) em "A Feiticeira" (4ª temporada)
  • Tim O'Connor (Drº Elias Huer) em "Buck Rogers no Século XXV"
  • Srº John Walton (Ralph Waite) em "Os Waltons" (3ª voz)
  • Andrew Cooper (Dick Sargent) em "Daniel Boone"
  • Darth Vader (James Earl Jones) em "Star Wars - Episódio IV - Uma Nova Esperança", "Star Wars - Episódio V - O Império Contra-Ataca" (1ª dublagem) e "Star Wars - Episódio VI - O Retorno de Jedi" (1ª dublagem)
  • Ernest Borgnine em "Adeus a Inocência", "Crime e Paixão", "Demétrius e Os Gladiadores", "Fuga de Nova York", "Meu Ódio Será Sua Herança" e "Missão Resgate"
  • Walter Matthau em "A Justiça Fala Mais Alto", "Linhas Cruzadas", "O Espião Trapalhão", "O Homem Que Burlou a Máfia", "Piratas" e "Um Estranho Casal"
  • John Goodman em "Os Flinstones - O Filme", "As Aventuras de Rocky & Bullwinkle", "De Que Planeta Você Veio", "O Maioral" e "O Poder da Corrupção"
  • Kirk Douglas em "Ambição Acima da Lei", "Assim Estava Escrito", "Homem Sem Rumo", "Os Indomáveis - Draw" e "Sete Dias de Maio"
  • Humphrey Bogart em "Casablanca", "Horas de Desespero", "Não Somos Anjos", "O Falcão Maltês" e "Seu Último Refúgio"
  • Anthony Quinn em "A Vigésima Quinta Hora", "As Sandálias do Pescador", "Os Canhões de San Sebastia", e "Zorba - O Grego"
  • Charles Bronson em "Assassinato Nos Estados Unidos", "O Telefone", "O Lobo do Mar", "O Vingador" e "Pancho Villa"
  • Marlon Brando em "O Poderoso Chefão", "O Último Tango em Paris", "O Selvagem" e "Um Novato na Máfia"
  • Jack Lemmon em "Aeroporto 77" (1ª dublagem), "O Inquilino do 25° Andar", e "Síndrome da China"
  • Joe Pesci em "Esqueceram de Mim", "Esqueceram de Mim 2 - Perdido em Nova York" e "Meu Primo Vinny"
  • Charlie Chaplin em "O Grande Ditador", "Luzes da Ribalta", "Monsieur Verdeaux" e "Um Rei em Nova York"
  • Fred Astaire em "Bonita Como Nunca", "Desfile de Páscoa", "Inferno na Torre", e "Ver, Gostar e Amar"
  • Edward G. Robinson em "A Cidade dos Desiludidos",  "No Mundo de 2020", e "Os Dez Mandamentos"
  • Spancer Tracy em "Fruto Proibido", "Marujo Intrépido" e "O Médico e o Monstro"
  • Hoyt Axton (Randall Peltzer) em "Gremlins"
  • Ash (Iam Holm) em "Alien - O Oitavo Passageiro"
  • Agente Cedric (Omar Sharif) em "Top Secret - Superconfidencial"
  • Leon B. Little (Eli Wallach) em "Os Últimos Durões"
  • Detetive Krim (Vicent Gardenia) em "O Céu Pode Esperar"
  • Willy Wonka (Gene Wilder) em "A Fantástica Fábrica de Chocolate" (1ª dublagem)
  • Gerald O'Hara (Thomas Mitchell) em "...E O Vento Levou"
  • Dudu (Paul Dooley) em "Popeye - O Filme"
  • Ben Luckett (Wilford Brimley) em "Cocoon"
  • Edwin Stewart (Robert Duvall) em "Caçada Humana"
  • Sargento Garcia (César Mora) em "Zorro: A Espada e a Rosa"

Domício Costa

DOMÍCIO COSTA DOS SANTOS FILHO
(87 anos)
Ator, Compositor, Dublador e Diretor de Dublagens

☼ Rio de Janeiro, RJ (02/12/1928)
┼ Rio de Janeiro, RJ (05/03/2016)

Domício Costa dos Santos Filho foi um ator, dublador e diretor de dublagem brasileiro. Nasceu em 02/12/1928, no Rio de Janeiro. Começou a carreira ainda bem jovem, com apenas 14 anos na Rádio Nacional, como rádio-ator. Ingressou na profissão junto com jornalista Carlos Palú. Também se formou em jornalismo na adolescência, o que o ajudou muito nos trabalhos que desempenhou no rádio.

Também na Rádio Nacional foi diretor de rádio-teatro, e posteriormente foi gerente da emissora. Também foi gerente de outras três rádios, Rádio Ipanema, Rádio FM Nacional e Rádio Volta Redonda.

Na Radio Nacional atuou em uma das obras mais conhecidas do rádio brasileiro, "A Paixão de Cristo", fazendo o papel de Judas. Também fez o Osvaldo em "Direito de Nascer", participou também de alguns "Teatro de Mistério" escritos por Hélio do Soveral, interpretando o Inspetor Santos, participou de "Anastácia", entre outros.

Além do trabalho em rádio, Domício Costa também foi compositor e compôs ao lado de Roberto Faissal a primeira música da cantora Dolores Duran.

Entre seus colegas de rádio, trabalhou com muitos daqueles que viriam a ser seus colegas na dublagem como Milton Rangel, Darcy Pedrosa, Cauê Filho, Newton da Matta, Luís Manuel, Rodney Gomes, Bruno Netto, Carlos Marques, Waldir Fiori, Wolner Camargo, Neuza Tavares, entre tantos outros.

Domício Costa permaneceu no rádio por 44 anos, saindo em 1988, onde na época desempenhava a função de superintendente da Rádiobrás.

Fez televisão, na época da televisão ao vivo. Fez "TV de Vanguarda" na TV Tupi do Rio de Janeiro, ao lado de Lima Duarte, Fernanda Montenegro, Sérgio Brito, dentre outros.

No teatro participou de "Caiu o Primeiro de Abril" com Ary Fontoura, Sadi Cabral, Lourdes Mayer, e direção de Chico Anysio, no Teatro Rival.

Na dublagem entrou em 1958, na Ziv, uma produtora de dublagem fundada dentro dos estúdios da TV Rio, no posto 6, no antigo prédio do Cassino Atlântico, na Avenida Atlântica em Copacabana, por Carlos De La Riva, que também foi técnico de som na empresa. Lá participou dos filmes de Charlie Chan, e com isso ganhou na época um prêmio da produtora e distribuidora americana dos longas, a MCA, que foi uma visita aos estúdios da empresa nos Estados Unidos.

Uma outra curiosidade é que na empresa Ziv, percussora da dublagem no Rio de Janeiro e no Brasil, a remuneração dos dubladores era paga em dólares. Talvez por esses trabalhos serem mandados diretamente das distribuidoras, ou talvez pela própria empresa que era mexicana, e tinha a sede no Brasil comandada por Carlos De La Riva.

Domício Costa passou por outras empresas, como Cine Castro, TV Cinesom, Dublasom Guanabara, Herbert Richers, Televox, Telecine, VTI, Delart, Cinevídeo, entre muitas outras.

No começo dos anos 1970 foi o narrador da Cine Castro que dizia a frase "Versão Brasileira Cine Castro Rio de Janeiro e São Paulo", e também narrava nas séries, filmes e desenhos da empresa. Com a compra da Cine Castro, Domício Costa continuou na empresa até ela mudar o nome para Televox, onde foi narrador da empresa até o fechamento da mesma.

Na Telecine foi um dos narradores e era ele quem dizia "Biblioteca de Desenhos Animados, Versão Brasileira Telecine", quadro de desenhos produzidos pela MGM.

Entre seus trabalhos como dublador, Domício Costa ficou muito conhecido principalmente com os desenhos animados. Ele foi uma das vozes do Popeye nas dublagens feitas na Cine Castro, a partir de 1966. Chico Bola / Lobo Mau em "Droopy e Dripple", Mightor em "O Poderoso Mightor", Ruivão na segunda e mais conhecida dublagem de "Jambo e Ruivão", Prefeito em "As Meninas Superpoderosas", Leôncio em "Novo Pica-Pau", Dick Vigarista e o Muttley quando falava na primeira dublagem de "Máquinas Voadoras" e a segunda voz em "Corrida Maluca", Eustácio Resmungão em "Coragem, o Cão Covarde", Iroh em "Avatar - A Lenda de Aang", Zeus no longa-metragem "Hércules", a primeira voz na série "Hércules", a primeira voz do Prefeito em "As Meninas Superpoderosas: Geração Z", Devimon em "Digimon", dentre tantos outros.

Em filmes foi Frank McCloud interpretado por Humphrey Bogart em "Paixões em Fúria", James Bond interpretado por Sean Connery em "007 - Contra o Satânico Drº No" e a primeira dublagem de "Moscou Contra 007", Lord Voldemort interpretado por Richard Bremmer em "Harry Potter e a Pedra Filosofal", Sabata interpretado por Lee Van Cleef em "Sabata: O Homem Que Veio Para Matar", McCutcheon interpretado por Aubrey Morris em "Bordel de Sangue", Kasper Gutman interpretado por Sydney Greenstreet em "O Falcão Maltês", Comandante da Missão interpretado por Anthony Hopkins em "Missão Impossível 2", Heinrich Von Garten interpretado por Christopher Lee em "Rios Vermelhos 2 - Anjos do Apocalipse", Alan Gaskell interpretado por Clark Gable em "Mares da China", Richard Dadier interpretado por Glenn Ford em "Sementes da Violência", Curley interpretado por George Kennedy em "Os Filhos de Katie Elder", entre outros personagens.

Além disso também fez a voz de outros atores como Spancer Tracy em "A Mulher Absoluta" e "A Um Passo do Fim", Robert Taylor em "Estrada Proibida" e "Pecado e Redenção", Robert Mitchum em "Colinas da Ira" e "Paixão de Bravo", Charlton Heston em "A Marca da Maldade" e "As Aventuras de Buffalo Bill", entre outros.

Em séries fez Mestre Kan interpretado por Philip Ahn em "Kung Fu - A Lenda Continua", a primeira voz de Gamemnon Busmalis interpretado por Tom Mardirosian em "Oz - A Vida é Uma Prisão", entre outros.

Em novelas fez o Drº Mendive interpretado por Fernando Torre Laphame em "A Usurpadora", Miguel Beltrán interpretado por Mario Casillas em "O Privilégio de Amar", entre outros.

Na década de 1990, o documentarista Jacques Cousteau mandou uma carta de próprio punho elogiando a narração de Domício Costa em suas matérias que foram ao ar pelo Discovery Channel. Domício Costa ficou muito contente com esse elogio.

Trabalhou até 2006 como dublador, dedicando-se apenas ao rádio, no qual trabalhava no programa "Show do Antônio Carlos", que fazia das 6h00 às 9h00, na Rádio Globo Rio AM 1220 Khz, ao lado do também dublador Duda Espinoza.

Domício Costa veio a se aposentar em 2011 e foi morar com sua filha na Bahia, mas retornou a dublagem em 2013.

Ele era considerado um dos maiores dubladores de todos os tempos. Nas dublagens e narrações mais clássicas ouvimos sua voz, e apesar dos anos terem se passado, continuava com o mesmo timbre forte, de boa postura, e sempre com a brilhante interpretação, que só um mestre na dublagem sabia fazer.

Morte

Domício Costa faleceu na manhã de sábado, 05/03/2016, aos 87 anos no Rio de Janeiro, RJ. A causa da morte não foi revelada. A informação foi publicada na Fanpage do dublador Guilherme Brigss que escreveu:

"Faleceu hoje o querido Domício Costa, um dos clássicos atores de dublagem de nosso país e que eu tive o grande prazer de aprender muitas coisas através de seu trabalho e de nossas várias conversas pelos estúdios aqui do Rio de Janeiro. Entre seus trabalhos como dublador, Domício ficou muito conhecido principalmente com os desenhos como o Dick Vigarista, Eustácio em Coragem, o Cão Covarde, o Prefeito em As Meninas Superpoderosas, entre vários outros. Eu mesmo me inspiro muito no trabalho dele, com sua voz e interpretação extremamente ricas e deliciosas. Fique em paz e com Deus, mestre. Obrigado por tudo."

Trabalhos

  • Popeye (uma das vozes) em "Popeye" (versão Cine Castro)
  • Ito (Masanari Nihei) em "Ultraman"
  • Narrador dos desenhos da Warner Bros que dizia "Biblioteca de Desenhos Animados"
  • Narrador em "O Regresso de Ultraman"
  • Cobrinha Azul (segunda voz) em "Cobrinha Azul"
  • Chico Bola / Lobo Mau em "Droopy e Dripple"
  • Mightor em "O Poderoso Mightor" e "Harvey, o Advogado"
  • Ruivão em "Jambo e Ruivão" (segunda dublagem)
  • Narrador em "Sawamu o Demolidor"
  • Narrador em "A Pantera Cor-de-Rosa"
  • Prefeito em "As Meninas Superpoderosas"
  • Leôncio em "Novo Pica-Pau"
  • Dick Vigarista e Muttley em "Máquinas Voadoras" e "Corrida Maluca"
  • Eustácio Resmungão em "Coragem, o Cão Covarde"
  • Iroh em "Avatar - A Lenda de Aang"
  • Zeus em "Hércules" (longa-metragem) e (primeira voz) em "Hércules" (série)
  • Prefeito (primeira voz) em "As Meninas Superpoderosas: Geração Z"
  • Wilbur Cobb em "Ren e Stimpy"
  • Pai da Vaca e do Frango (segunda voz) em "A Vaca e o Frango"
  • Srº Burns (segunda voz) em "Os Simpsons"
  • Barão Strucker em "X-Men Evolution"
  • Draaga em "Liga da Justiça Sem Limites"
  • Fowler em "A Fuga das Galinhas" (longa-metragem)
  • Professor em "Os Flintstones nos Anos Dourados"
  • Bo em "Garfield e Amigos" (versão Sincrovídeo)
  • Devimon em "Digimon Adventure"
  • Hudson em "Gargoyles"
  • Lobo Mau em "Os Três Porquinhos"(longa-metragem)
  • Matagi em "Samurai Champloo"
  • Sarmoti em "O Rei da Selva" (longa-metragem)
  • Jackie em "Jackson Five"
  • Bobby em "Super Dínamo"
  • Thunderbolt em "Cavalo de Fogo"
  • Satã em "A Princesa e o Cavaleiro"
  • Professor Força em "Silverhawks"
  • Mágico Ramnizar em "Os Cavaleiros da Arábia"
  • Cardeal Glick (George Carlin) em "Dogma"
  • Fleegle (segunda voz) em "Banana Splits"
  • Athos (Van Heflin) em "Os Três Mosqueteiros"
  • Frank McCloud (Humphrey Bogart) em "Paixões em Fúria"
  • James Bond (Sean Connery) em "007 - Contra o Satânico Drº No"
  • James Bond (Sean Connery) em  "Moscou Contra 007" (primeira dublagem)
  • Lord Voldemort (Richard Bremmer) em "Harry Potter e a Pedra Filosofal"
  • Hickory / Homem de Lata (Jack Haley) em "Magico de Oz" (Telecine)
  • Gamemnon Busmalis (Tom Mardirosian) em "Oz - A Vida é Uma Prisão"
  • Stinger (James Tolkan) em "Top Gun - Ases Indomáveis"
  • Morrell (Patrick Godfrey) em "O Conde de Monte Cristo"
  • Mestre Kan (Philip Ahn) em "Kung Fu - A Lenda Continua"
  • Maxwell Dent (Jürgen Prochnow) em "Um Tira da Pesada 2"
  • Drº Charlie Humphries (Rufus Collins) em "Fome de Viver"
  • Gene Hackman em "O Assalto" e "Sem Saída"
  • Drº Mendive (Fernando Torre Laphame) em "A Usurpadora"
  • Richard Jones "Dick" (Ronny Cox) em "Robocop - O Policial do Futuro"
  • Cardeal Glick (George Carlin) em "Dogma"
  • Charlton Heston em "A Marca da Maldade" e "As Aventuras de Buffalo Bill"
  • Sabata (Lee Van Cleef) em "Sabata: O Homem Que Veio Para Matar"
  • McCutcheon (Aubrey Morris) em "Bordel de Sangue"
  • Kasper Gutman (Sydney Greenstreet) em "O Falcão Maltês"
  • Lord Wolfingham (Henry Daniell) em "O Gavião do Mar"
  • Captain Ross (John Randolph) em "King Kong"
  • Spancer Tracy em "A Mulher Absoluta" e "À Um Passo do Fim"
  • Robert Taylor em "Estrada Proibida" e "Pecado e Redenção"
  • Robert Mitchum em "Colinas da Ira" e "Paixão de Bravo"
  • Miguel Beltrán (Mario Casillos) em "O Privilégio de Amar"
  • Comandante da Missão (Anthony Hopkins) em "Missão Impossível 2"
  • Heinrich Von Garten (Christopher Lee) em "Rios Vermelhos 2 - Anjos do Apocalipse"
  • Roberts (Pat Hingle) em "O Resgate de Jéssica"
  • Técnico John Schiffner (Brian Dennehy) em "Jogadas de Verão"
  • Eyvind (Max Von Sydow) em "A Maldição do Anel"
  • Sargento Berger (Peter Lorre) em "A Cruz de Lorena"
  • Alan Gaskell (Clark Gable) em "Mares da China"
  • Alan Squier (Leslie Howard) em "Floresta Petrificada"
  • Richard Dadier (Glenn Ford) em "Sementes da Violência"
  • Curley (George Kennedy) em "Os Filhos de Katie Elder"
  • Profº Oliver Lindenbrook (James Mason) em "Viagem Ao Centro da Terra"
  • C.R. MacNamara (James Cagney) em "Cupido Não Tem Bandeira" (primeira dublagem)

Indicação: Miguel Sampaio

Mário Vilela

MÁRIO RIBEIRO VILELA
(71 anos)
Dublador

☼ São Paulo, SP (03/05/1934)
┼ São Paulo, SP (01/12/2005)

Mário Ribeiro Vilela, conhecido como Mário Vilela, foi um dublador brasileiro.

Mário Vilela começou a carreira como ator e entre seus trabalhos está a novela "Sombras do Passado" (1983) na TVS, trabalhando ao lado de Marcelo Gastaldi, Cecília Lemes, Walter Breda e José Parisi.

Na dublagem começou no final dos anos de 60 na Arte Industrial Cinematográfica (AIC). Entre seus trabalhos está o ator Edgar Vivar interpretando o Senhor Barriga na série "Chaves", e interpretando Botina, Garrafa, Detetive Cannon, Seu Severiano e diversos personagens em "Chapolin Colorado". Também dublou o ator no filme "Aventuras em Marte", que era um filme da série "Chapolin Colorado". Este sem duvida foi o seu maior trabalho, principalmente o Senhor Barriga, no qual era carinhosamente chamado pelos amigos de profissão de tão marcado que ficou esse personagem em Mário Vilela.

Mário Vilela também fez muitas dublagens em séries japonesas, como Buba interpretado por Yoshinori Okamoto e Gyoudai interpretado por Takeshi Watabe em "Esquadrão Relâmpago Changeman", na série "Patrine" fez o Deus Protetor, interpretado por Seijun Suzuki, na série "Spectreman" fez Takashi Ota interpretado por Kazuo Arai, também fez o Robô Kaima Metal Heavy dublado originalmente por Issei Futamasa em "Kamen Rider Black Rx", alem de ter feito pontas em "O Fantástico Jaspion", "Lion Man", "Jiban", entre outros.


Em séries infantis fez o Dono da Venda, o Rato de Boné interpretado por Shane McNamara em "Bananas de Pijamas".

Além de séries, Mário Vilela fez muitos desenhos, como Lenny em "Kissyfur", o vizinho de Rocko, Ed Cabeção em "A Vida Moderna de Rocko", foi o Blass em "Fly, o Pequeno Guerreiro", em "Os Cavaleiros do Zodíaco" foi Spika, em "Zillion" foi o Barão Ricks, no desenho dos anos 70 da "Família Addams" foi o Tio Chico, dentre outros.

Em filmes não era muito atuante, na maioria das vezes fazia apenas pontas, mas participou em alguns filmes como Landlord interpretado por Andy Devine em "A Pedra Azul", Carl interpretado por Walter Robles em "Os Mestres do Universo", foi o Papai Noel interpretado por Dennis Radesky em "Filadélfia", entre outros.

Em 2003 teve a honra de conhecer pessoalmente o ator Edgar Vivar no programa "Falando Fracamente", no SBT. Mário Vilela ficou muito emocionado, pois para ele Edgar Vivar, como também para os fãs, foi o maior trabalho de sua carreira, dentre todos os segmentos que já havia passado. E foi uma cena bem bonita para os que tiveram a oportunidade de assistir esse emocionante encontro.

Mário Vilela era diabético há muitos anos, e já havia tido vários problemas por causa da doença, como problema nas pernas. Veio a falecer vítima de problemas cardíacos também causados pelo diabete no dia 01/12/2005, deixando um legado na carreira e diversos fãs pelo país a fora.

Trabalhos

  • Edgar Vivar em "Chaves", "Chapolin" e "Aventuras em Marte"
  • Buba (Yoshinori Okamoto) e Gyoudai (Takeshi Watabe) em "Esquadrão Relâmpago Changeman"
  • Lenny em "Kissyfur"
  • Spika em "Os Cavaleiros do Zodíaco"
  • Blass em Fly o Pequeno Guerreiro
  • Ed Cabeção em "A Vida Moderna de Rocko"
  • Rato de Boné (Shane McNamara) em "Bananas de Pijamas"
  • Barão Ricks em "Zillion"
  • Senhor Jenkins em "Caillou"
  • Robô Kaima Metal Heavy (Issei Futamasa) em "Kamen Rider Black Rx"
  • Monstro Humanos (Episodios 14, 18 e 22) em "Lion Man"
  • Tio Chico em "A Família Addams" (Desenho dos anos 70)
  • Doc. Wilson (Michael Higgins) em "Deu a Louca nos Astros"
  • Baleia Dopey Dick, e personagens secundários em "Pica-Pau"
  • General em "As Novas Aventuras da Turma da Mônica"
  • Takashi Ota (Kazuo Arai) em "Spectreman"
  • Deus Protetor (Seijun Suzuki) em "Patrine"
  • Ben Parker (Segunda voz) e Rhino (Segunda voz) em "Homem Aranha" (Desenho anos 90)
  • Hardman em "Megaman"
  • Joseph Barbera em "Os Flintstones - I Yabba Dabba Do"
  • Scorpion / Sub-Zero em "Mortal Kombat"
  • Landlord (Andy Devine) em "A Pedra Azul"
  • Carl (Walter Robles) em "Os Mestres do Universo"
  • Papai Noel (Dennis Radesky) em "Filadélfia"
  • Hunk em "Voltron"
  • Presidente Alcazar (Subas Herrero) em "Comando Delta 2 - Conexão Colômbia"
  • Cyborg 007 em "Cyborg 009" (Série Original)
  • Gatão em "Tico e Teco e Os Defensores da Lei"
  • Pai da Lum em "Turma do Barulho"

Antonio Akira

ANTONIO AKIRA
(27 anos)
Dublador

☼ (1988)
┼ São Paulo, SP (26/07/2015)

Antonio Akira era conhecido por ter emprestado sua voz às séries "Cavaleiros do Zodíaco: Série Ômega" e "Teenage Mutant Ninja", versão atual de "Tartarugas Ninja"Antonio Akira fazia a voz do personagem Ryuho de Dragão em "Os Cavaleiros do Zodíaco" e ao tartaruga ninja Leonardo, em uma versão recente do desenho, em 2012.

"Os Cavaleiros do Zodíaco" foi transmitido pela primeira vez na década de 90, pela extinta TV Manchete, e se tornou um fenômeno do público infantil.

Já em 2004, foi reexibido pela Band, porém com algum trabalho de edição, já que o desenho original tinha bastante violência. A série dublada por Antonio Akira foi uma segunda fase do "Cavaleiros do Zodíaco", que estreou no Japão em 2012.

Entrevista Com Antonio Akira

Vamos conhecer um pouco mais sobre Antonio Akira o dublador do Ryuho da nova saga de "Cavaleiros do Zodíaco: Série Ômega". Akira, como prefere ser chamado, é um dublador novato, mais já com muita experiência na dublagem, tanto que antes do Ryuho, foi chamado para dublar o Leonardo na nova série das "Tartarugas Ninjas" da Nickelodeon.

01: Conte um pouco sobre você antes de conhecer a dublagem até o momento que você decidiu se tornar um dublador.
Akira: Eu fazia teatro antes de começar a dublar, acabei descobrindo que ia abrir uma escola de dublagem, no caso a Dubrasil, já tinha feito uma pequena oficina antes de dublagem, mas foi com o curso na Dubrasil que comecei a gostar ainda mais da profissão.

02: Fale dos seus primeiros trabalhos na dublagem.
Akira: Meu primeiro trabalho foi a dublagem de uma novela portuguesa, lembro que quando fiquei sabendo que tinha passado no meu primeiro teste para dublar numa novela quase nem acreditei, tinha pensado até que era um trote quando o estúdio me ligou dizendo que eu tinha passado no teste.

03: Como foi entrar no mundo dos animes dublando primeiramente o Nakahito e agora sendo presenteado com o Ryuho?
Akira: Foi muito marcante dublar o Nakahito mesmo não sendo um personagem tão conhecido pelos fãs de anime, primeiramente pelo fato de eu ter tido a chance de dublar no maior estúdio de dublagem de São Paulo que era a Álamo, e segundo por ter sido dirigido por uma das pessoas que mais admiro como profissional que é a Marli Bortoletto. Gostei muito do resultado desses anime. E sobre dublar o Ryuho é uma honra, pois faço parte de uma equipe de dubladores de diversas gerações, isso possibilita meu crescimento como profissional e sem falar do carinho que os fãs da série tem por nós, deixa nosso trabalho mais especial ainda.

04: Fale um pouco sobre o Nakahito.
Akira: O Nakahito era um garoto tímido e muito medroso, até que acidentalmente beija uma androide que se apaixona por ele. Ao passar dos episódios ele se vê envolvido em situações que forçam ele deixar o medo de lado e isso faz com que ele amadureça.



05: Agora vamos para "Cavaleiros do Zodíaco, Ômega": Qual foi sua sensação ao ganhar o Ryuho e participar da continuação da série que chega para inovar?
Akira: Nem sei explicar a reação quando soube que tinha ganhado o teste. Ainda não caiu a ficha que vou dublar um anime tão icônico para uma geração inteira que cresceu assistindo esse anime. Fico ansioso também para saber a reações dos fãs aos assistirem a versão dublada, pois eles são muito exigentes. Mas uma coisa eu digo, estamos dublando "Cavaleiros do Zodíaco" com todo o carinho possível.

06: Você pode contar alguma novidade sobre o Ômega?
Akira: Bom, dublei só os primeiros episódios então não aconteceu muita coisa de marcante para que eu possa adiantar para os fãs que ainda não viram ao anime. Em relação aos dubladores geralmente eu fico sabendo quem vai dublar quem quando a notícia sai nos sites.

07: O que você espera do Ryuho?
Akira: Espero que meu trabalho possa ficar mais conhecido pelo Brasil , agradando todos os fãs da série e assim possa me trazer mais personagens tão especiais como o Ryuho.

08: Mande uma mensagem para os fãs de "Cavaleiros do Zodíaco".
Akira: Queria agradecer a todos os fãs pelas mensagens de incentivando nosso trabalho e dizer que o carinho deles faz uma grande diferença na hora em que vamos dublar. Continuem assim!

09: Agora vamos para outro trabalho conhecido seu: É o Leonardo, como anda a dublagem de "Tartarugas Ninjas".
Akira: A dublagem das "Tartarugas Ninja" também está a todo vapor, um trabalho muito especial pra mim também espero que a segunda temporada chegue logo no Brasil.

10: Para terminar mande uma mensagem especial para os amantes da dublagem.
Akira: Quero agradecer pelo carinho que eles tem por nosso trabalho!

Morte

Antônio Akira morreu em São Paulo no domingo, 26/07/2015, aos 27 anos, vítima de uma meningite fúngica, uma bactéria que se alojou no cérebro e depois passou para os pulmões, depois de ficar internado por duas semanas no Hospital da Luz, na Vila Mariana, Zona Sul da capital paulista.

A notícia foi confirmada pelo dublador Robson Kumode, amigo de Antonio Akira, a quem considerava um irmão. Segundo ele, no início do mês de julho de 2015, o jovem sentiu fortes dores de cabeça e acabou sendo internado no Hospital da Luz, na Vila Mariana, por duas semanas. Os médicos identificaram que ele tinha meningite do tipo fúngica, que acabou causando uma pneumonia.

"Ele teve quatro paradas cardíacas, e acabou entrando em coma. No domingo pela manhã, depois de um exame clínico, os médicos disseram que ele não resistiria, e fariam exames para confirmar a morte cerebral. À noite ele teve mais duas paradas cardíacas e faleceu por volta das 21:00 hs"

O corpo do jovem foi velado no Cemitério da Vila Mariana, na segunda-feira, 27/07/2015, e cremado no fim da tarde no Crematório Vila Alpina.

Antonio Akira tinha dois irmãos por parte de pai, e era o único filho por parte de mãe. Segundo Robson Kumode, a família ficou bastante abalada. O dublador lembra que ele e Antonio Akira começaram a trabalhar juntos em São Paulo.

"Conheci ele há dez anos, e éramos muito amigos. Começamos juntos, e as pessoas até confundiam a gente. E moramos juntos com outro amigo dublador. Era como se fosse um irmão, e ele me consultava para falar as coisas, me procurava para puxar a orelha dele!"

Nas redes sociais, centenas de fãs do dublador deixaram mensagens de carinho. Muitos lembraram os personagens Ryuho e Leonardo, e deixaram mensagens de apoio os familiares do rapaz.

Indicação: Miguel Sampaio

Gastão Renné

GASTÃO RENNÉ
Dublador


Gastão Renné foi um dublador Paulista. Ingressou na dublagem no início da Arte Industrial Cinematográfica (AIC), por volta de 1962. Desde o início foi escalado para desenhos de Hanna Barbera, o qual ao lado de Older Cazarré, Waldir Guedes e Roberto Barreiros, era um dos dubladores mais atuantes e brilhantes para dublar desenhos. Gastão Renné tinha uma voz forte, porem afinava-a, e por esses falsetes era muito escalado para desenhos, mas também fazia participações com sua voz original.

Entre os desenhos mais famosos dublados por Gastão Renné estão Batatinha e Guarda Belo em "Manda-Chuva", Homem-Mola em "Os Impossíveis", o rato Ploc em "Plic, Ploc e Chuvisco", Patinho Duque em "O Patinho Duque", o homem das cavernas Ughi em "Dino Boy e o Vale Perdido", Pernalonga na primeira dublagem do coelho no Brasil, sendo redublado pela Herbert Richers nos anos de 1970, entre outros.

Gastão Renné teve poucas participações em series, seu carro chefe eram os desenhos animados. Não temos informações de onde Gastão Renné veio nem de quando nasceu, nossa única fonte de informação é uma pequena citação de Older Cazarré e Roberto Barreiros na extinta "Revista do Rádio", datada de dezembro de 1967, na qual é citado o seu falecimento, vítima de um ataque cardíaco. Gostaríamos também de ter conseguido uma fotografia e também a sua biografia completa, porém nem sites especializados em dublagem possuem qualquer material a respeito. 

Certa vez, em entrevista a um site, Lima Duarte agradeceu a Gastão Renné por toda a ajuda que lhe deu para dublar Manda-Chuva, pois o personagem fala rápido demais e isso dificultava ao dublador.

Para os fãs das dublagens originais, sobretudo em desenhos, fica aqui registrado o magnífico desempenho de mais um artista brasileiro que infelizmente ficou no anonimato.

Trabalhos

  • Batatinha e Guarda Belo em "Manda-Chuva"
  • Homem-Mola em "Os Impossíveis"
  • Ploc em "Plic, Ploc e Chuvisco"
  • Patinho Duque em "O Patinho Duque"
  • Ughi em "Dino Boy e o Vale Perdido"
  • Professor Tolom-Tolom em "O Urso Cerebral" em "Zé Colméia"
  • Zé Macaco em "Jacaré de Araque" em "Wally Gator"
  • Caçador em "Operação Major" em "Leão da Montanha"
  • Pernalonga em "Looney Tunes"

Fonte: Casa da Dublagem e Universo AIC
Indicação: Paulo Américo Garcia

Líria Marçal

LÍRIA MARÇAL
(61 anos)
Atriz e Dubladora

☼ Lins, SP (06/06/1935)
┼ São Paulo, SP (08/07/1996)

Líria Marçal foi uma atriz e dubladora brasileira, celebrizada principalmente por ter dublado Jeannie na famosa série "Jeannie é Um Gênio" (1965-1970).

Líria Marçal nasceu em 06/06/1935 em Lins, SP e começou a carreira no rádio como radio-atriz. Depois foi para o cinema aonde fez os filmes "Helena" (1961), "Lá no Meu Sertão" (1962), "Tortura d'Alma"  (1964) e "Eu Amo Esse Homem" (1964).

Em 1965 entrou para a Rede Globo aonde fez a novela "O Ébrio".

Em 1968 foi para a Rede Bandeirantes aonde fez a novela "Nunca é Tarde Demais" (1968), aonde fazia a protagonista, ao lado dos também dubladores José Miziara, Aldo César e Mara Di Carlo, depois fez a novela "Asas São Para Voar" (1970).

Na dublagem entrou no início dos anos 60 na Artes Industriais Cinematográficas (AIC). A grande maioria de seus trabalhos foram feitos na AIC, mas Líria Marçal também dublou na BKS, mais já não com tanta frequência. Permaneceu dublando na BKS até meado dos anos 80.

Entre suas dublagens estão Jeannie interpretada por Barbara Eden na série "Jeannie é Um Gênio", seu trabalho mais conhecido. Também fez Victoria Cannon interpretada por Linda Cristal na primeira dublagem da série "Chaparral", a segunda voz de Victoria Barkley interpretada por Barbara Stamwick na série "Big Valley", Rosemary Sidney interpretada por Rosalind Russell no filme "Férias de Amor", Patricia Stanley "Pat" interpretada por Carole Gray no filme "A Maldição da Mosca", Karen Holmes interpretada por Deborah Kerr no filme "A Um Passo da Eternidade", a atriz Rita Hayworth nos filmes "A Dama de Shanghai" e "Lábios de Fogo".

Líria Marçal faleceu em São Paulo, SP, no dia 08/07/1996.

Dublagens

  • Jeannie (Barbara Eden) em "Jeannie é Um Gênio"
  • Jeannie em "Jeannie" (Desenho)
  • Victoria Cannon (Linda Cristal) em "Chaparral" (Primeira Dublagem)
  • Rosemary Sidney (Rosalind Russell) em "Férias de Amor"
  • Drª Lureen Elkins (Collin Wilcox Paxton) em "Tubarão 2"
  • Melanie Daniels (Tippi Hedren) em "Os Pássaros"
  • Ann Thorn (Lee Grant) em "Damien - A Profecia 2"
  • Rainha Taramis (Sarah Douglas) em "Conan - O Destruidor"
  • Patricia Stanley "Pat" (Carole Gray) em "A Maldição da Mosca"
  • Karen Holmes (Deborah Kerr) em "A Um Passo da Eternidade"
  • Rita Hayworth em "A Dama de Shanghai" e "Lábios de Fogo"
  • Drª Sandra Mornay (Lenore Aubert) em "Abbott e Costello As Voltas Com Fantasmas"
  • Victoria Barkley (Barbara Stamwick) segunda voz em "Big Valley"

Novelas

  • 1970 - As Asas São Para Voar (TV Bandeirantes)
  • 1968 - Nunca é Tarde Demais (TV Bandeirantes)
  • 1965 - O Ébrio (TV Globo)
  • 1964 - Eu Amo Esse Homem (TV Paulista)
  • 1964 - Tortura d'Alma (TV Paulista)

Filmes

  • 1932 - Luar do Meu Sertão

Milton Rangel

MILTON SALGADO RANGEL
(44 anos)
Dublador

☼ Maria da Fé, MG (19/05/1927)
┼ (06/03/1972)

Milton Salgado Rangel foi um dublador carioca, nascido em 19/05/1927 em Maria da Fé, Minas Gerais. Começou a carreira no rádio, e entre várias emissoras que trabalhou está a Rádio Nacional, no qual trabalhou por cerca de 20 anos. Na Rádio Nacional fez os mais diversos personagens, entre eles podemos citar "Jerônimo - O Herói do Sertão", que esteve por quase 20 anos no ar, a novela "Moisés Weltman" que ficou no ar por 18 anos, entre outros.

Em "Jerônimo - O Herói do Sertão", onde interpretava o Jerônimo, fazia parceria com Cauê Filho que interpretava o Moleque Saci. Essa rádio-novela foi a mais famosa do rádio brasileiro, tendo tido outras cópias, como na Rádio São Paulo como "Juvêncio, o Herói do Sertão", entre outros.

Milton Rangel também viveu o Centurião na rádio-novela mais clássica do rádio brasileiro "A Paixão de Cristo".

Em 28/08/1965 foi o narrador ao lado de Roberto Faissal do programa "Os 24 Anos do Repórter Esso" na Rádio Nacional.

Milton Rangel era sobrinho de Plínio Salgado, que fundou em 1932 a Ação Integralista Brasileira (AIB).

Na dublagem, Milton Rangel, entrou no início da mesma, em 1958, no Rio de Janeiro, na Cinelab, empresa que começou na mesma época que a Ziv, mas que tinha um fluxo maior de profissionais, e foi a grande escola da dublagem, pois obteve primeiro que a Ziv todo aquele elenco que se tornariam os grandes dubladores do Brasil. Milton Rangel também chegou a trabalhar na Ziv.

Na CinelabMilton Rangel além de dublador era diretor de dublagem, mesmo sem conhecer direito aquela arte. Como os demais colegas, foi aprendendo e ensinando ao mesmo tempo, e com isso se tornou um dos grandes diretores de dublagem da história do país, lembrado até hoje pelos amigos. Milton Rangel também foi o protagonista de duas das primeiras séries dubladas no Rio de Janeiro, Bret Maverick na série "Maverick" pela Cinelab, e Bat Masterson na série homônima na Ziv.


Com o fim das dublagens na Cinelab, e com a Ziv já fechada há algum tempo, Milton Rangel foi para a Rio Som, aonde desempenhou seu trabalho como diretor e dublador. Anos depois foi para a Cinecastro desempenhar os mesmos cargos, e também se tornou o narrador da empresa por um tempo. Também trabalhou na Dublasom Guanabara e na Herbert Richers, sendo que na última também desempenhou o trabalho de diretor de dublagem.

Entre suas dublagens estão personagens em desenhos como Zandor em "Os Herculóides", Os Irmãos Bacalhau capangas de Silvestre Soluço na primeira dublagem de "Os Apuros de Penélope Charmosa", Rei Pomp de Liliput, o pai da loirinha Flirtácia em "As Aventuras de Gulliver", Espoleta na segunda e clássica dublagem do longa-metragem "Pinóquio", narrador na primeira dublagem do desenho "George, o Rei da Floresta", o guia sueco Lars, fazendo parte da expedição do Professor Lindenbrook, e o corcunda Torg, que era capanga do Conde Saknussen em "Viagem Ao Centro da Terra", entre outros.

Em filmes fez Henry Fonda em "Paixão dos Fortes", Errol Flynn em "Contra Todas as Bandeiras", Gregory Peck em "Círculo do Medo", Gene Kelly em "A Senhora e Seus Maridos", Richard Devon em "Os Comacheros", entre outros.

Em séries foi a voz do atrapalhado Herman Monstro na primeira dublagem de "Os Monstros", também foi a voz de Rick Ricardo na segunda dublagem, também clássica de "I Love Lucy", foi Hayata o Ultraman na série de mesmo nome, Bret Maverick em "Maverick"William Barclay 'Bat' Masterson (Gene Barry) em "Bat Masterson", entre outros.

Infelizmente Milton Rangel veio a falecer precocemente em 06/03/1972, aos 44 anos, deixando esposa e três filhos. Após a morte, Milton Rangel foi homenageado pela Herbert Richers, a qual deu seu nome a um de seus estúdios, e mantido assim até o final da empresa, que aconteceu 40 anos depois.

Jacyra Domingues, Nely Amaral e Milton Rangel
Alguns Trabalhos


  • Zandor em "Os Herculóides"
  • Wyatt Earp (Henry Fonda) em "Paixão dos Fortes"
  • Esteban (Richard Devon) em "Os Comacheros"
  • Herman Monstro (Fred Gwynne) em "Os Monstros"
  • Rick Ricardo (Desi Arnaz) em "I Love Lucy" (Segunda Dublagem)
  • Brian Hawke (Errol Flynn) em "Contra Todas As Bandeiras"
  • Sam Bowden (Gregory Peck) em "Círculo do Medo"
  • Os Irmãos Bacalhau em "Os Apuros de Penélope Charmosa" (Primeira Dublagem)
  • Hayata / Ultraman (Susumu Kurobe) em "Ultraman"
  • Espoleta em "Pinóquio" (Longa-Metragem - Segunda Dublagem)
  • Rei Pomp de Liliput em "As Aventuras de Gulliver"
  • Pinky Benson (Gene Kelly) em "A Senhora e Seus Maridos"
  • Narrador em "George, o Rei da Floresta" (Primeira Dublagem)
  • Richard Vance e Sua Sombra em "O Sombra"
  • Lars e Torg em "Viagem Ao Centro da Terra"
  • Bret Maverick (James Garner) em "Maverick"
  • William Barclay 'Bat' Masterson (Gene Barry) em "Bat Masterson"

Indicação: Miguel Sampaio