Miltinho

MILTON SANTOS DE ALMEIDA
(86 anos)
Cantor e Instrumentista

* Rio de Janeiro, RJ (31/01/1928)
+ Rio de Janeiro, RJ (07/09/2014)

Miltinho foi um cantor e instrumentista brasileiro nascido no Rio de Janeiro. Na década de 40 participou como ritmista e vocalista de quatro importantes grupos musicais: Cancioneiros do Luar, Namorados da Lua, Anjos do Inferno, que chegou a viajar aos Estados Unidos acompanhando Carmen Miranda, e Quatro Ases e Um Coringa.

De 1950 a 1957 foi crooner da Orquestra Tabajara, de Severino Araújo, e do grupo Milionários do Ritmo, de Djalma Ferreira com quem chegou a gravar como crooner. Apesar de ter surgido como pandeirista, a imagem do cantor de voz anasalada logo se firmou em interpretações de sambas de teleco-teco e canções românticas.

Em 1960 passou a seguir carreira solo e lançou o LP "Um Novo Astro", pelo selo Sideral, que obteve grande sucesso. Nesse disco de estréia cantou entre outras, "Ri" (Luiz Antônio), "Idéias Erradas" (Ribamar e Dolores Duran), "Teimoso" (Ari Monteiro e Luiz Bandeira) e "Mulher de Trinta" (Luiz Antônio), que se constituiu no maior sucesso de sua carreira. Lançou um segundo LP, intitulado "O Diploma de Astro", que trazia "Não Emplaca 61" e "Saudade da Pobreza", de Ari Monteiro e Monsueto, entre outras.

Em 1961 lançou LP pela RCA Victor, com destaque para "Murmúrio" (Djalma Ferreira e Luiz Antônio), "Eu Quero Um Samba" (Janet de Almeida e Haroldo Barbosa), "Se Você Disser Que Sim" (Luiz Bandeira), "O Amor e a Rosa" (Pernambuco e Antônio Maria) e "Rosa Morena" (Dorival Caymmi). Transferiu-se para a gravadora RGE e lançou um disco em 78 rpm com o samba "A Canção Que Virou Você" e o samba canção "Poema do Adeus", ambas de Luiz Antônio.

Em 1962 lançou o LP "Poema do Adeus", que além da música título tinha "Palhaçada" (Luiz ReisHaroldo Barbosa), uma gravação marcante em sua carreira, "Estou Só" (Benil Santos e Raul Sampaio), que foi um grande sucesso, "Mulata Assanhada" (Ataulfo Alves) e "Solução" (Raul Sampaio e Ivo Santos). Fez razoável sucesso com o samba-canção "Lembranças" (Raul Sampaio e Benil Santos) e "Meu Nome é Ninguém" (Luiz ReisHaroldo Barbosa e Nazareno de Brito).

Em 1963 gravou em 78 rpm os sambas "Zé da Conceição" (João Roberto Kelly) e "E o Tempo Passou" (Herivelto Martins e David Nasser). Lançou o LP "Poema do Olhar", música título de Jair Amorim e Evaldo Gouveia, que continha ainda "Samba do Balanço" (Luiz ReisHaroldo Barbosa) e "Mais Uma Lágrima" (Heitor Carrilho e Betinho). Gravou o LP "Miltinho é Samba", com "Lamento Bebop" (Luiz Reis e Haroldo Barbosa), "O Tema é Solidão" (Hianto de Almeida e Edson Borges), "Saudade, Fique Comigo" (Cyro Monteiro) e "Que Sabe Você de Mim" (Fernando César e Britinho).


Em 1964 gravou o LP "Canção do Nosso Amor", música título de Raul Sampaio e Benil Santos, que tinha ainda "Samba do Trouxa" (Luiz Reis e Haroldo Barbosa) e "O Que Fariam Vocês" (Miguel Gustavo). No mesmo ano, lançou mais dois LPs "Bossa e Balanço", com músicas como "Morro Mas Um Samba Eu Faço" (Lúcio Alves) e "Faça Como Eu" (Gilvan Chaves), "Eu, Miltinho", "Samba do Crioulo" (Miguel Gustavo) e "Caminho Perdido" (Luiz Antônio).

Em 1965 gravou "Miltinho Ao Vivo", no qual cantou sucessos como "Eu Chorarei Amanhã", "Meu Nome é Ninguém" e "Mulher de Trinta". Lançou seu último disco pela RGE, "Poema do Fim", que trazia entre outras, "Sorrisos" e "Coitadinho de Mim" (Raul Sampaio e Benil Santos), "Eu Não Sabia" (Fernando César e Britinho) e "Canção do Meu Amor Dormindo" (Jota Jr. e Alcyr Pires Vermelho).

Em 1966 transferiu-se para a gravadora Odeon e lançou o LP "Samba + Samba = Miltinho", com "E o Juiz Apitou" (Antônio Almeida e Wilson Batista), "Amuleto" e "Quase" (Herivelto Martins e Klécius Caldas) e "Exaltação Ao Sonho" (Claudionor Cruz e Pedro Caetano).

Em 1967 gravou com a cantora Elza Soares o LP "Elza, Miltinho e Samba", no qual interpretaram "Lampião Vadio" (Luiz Reis e Luiz Antônio), "Mais Um Triste Carnaval" (Raul Mascarenhas Haroldo Barbosa), "Telefone no Morro" (João Roberto Kelly), "Bicho Papão" (Catulo de Paula) e "Samba do Pingo D'água" (Raul Mascarenhas Haroldo Barbosa). Levou ao público o LP "Miltinho, Samba e Cia", no qual cantou pot-pourris como a que incluiu "Beijo na Boca" (Augusto Garcez e Cyro de Souza), "Requebre Que Eu Dou Um Doce" (Dorival Caymmi) e "Tem Que Ter Mulata" (Túlio Piva), além outros sucessos como "Mal de Amor" (Benil Santos e Raul Sampaio) e "Antonico" (Ismael Silva).

Na década de 70 passou a investir mais em shows pelo interior, ficando afastado dos palcos nas grandes cidades.

Em 1970 lançou o LP "Dóris, Miltinho e Charme", o primeiro de uma série de quatro discos com a cantora Dóris Monteiro lançados nos anos seguintes. Nesse primeiro disco da série, interpretaram "Leva e Traz" (Orlandivo e Roberto Jorge) e mais sete pot-pourris com sucessos como "A Felicidade" (Tom Jobim e Vinícius de Moraes) e "Foi Um Rio Que Passou Em Minha Vida(Paulinho da Viola). Gravou "Miltinho e a Seresta" interpretando músicas consagradas nas serestas tais como "A Deusa da Minha Rua(Jorge Faraj e Newton Teixeira), "Malandrinha" (Freire Júnior), "No Rancho Fundo(Ary Barroso e Lamartine Babo) e "Queixumes" (Henrique Brito e Noel Rosa).


Em 1971 lançou o LP "Novo Recado", com músicas de antigos e novos compositores como "Samba no Leblon" (Luiz Ayrão) e "Corrente de Aço" (João Nogueira), ambos em início de carreira. Gravou o segundo disco da série com Dóris Monteiro. Nos dois anos seguintes lançou dois discos com Dóris Monteiro.

Em 1973 foi lançado o quarto e último volume da série "Dóris, Miltinho e Charme", na mesma formulação dos anteriores, com pot-pourris e sucessos como "Manias" (Flávio Cavalcanti e Celso Cavalcanti), "Lendas do Abaeté" (Jajá, Manoel e Preto Rico), samba enredo da Portela, e "Quando eu Vim de Minas" (Xangô da Mangueira).

Em 1974 gravou "Retalhos de Cetim" (Benito di Paula).

Em 1976 voltou a gravar músicas de compositores ligados a escolas de samba como "Palavra de um Preto Velho" (Dedé da Portela e Sérgio Fonseca).

No princípio dos anos 80 deixou a Odeon.

Em 1986 lançou LP pelo selo Inverno e Verão, com antigos sucessos seus como "Mulher de Trinta" e "Poema do Adeus", ambas do compositor de Luiz Antônio, e "Lembranças" (Raul Sampaio e Benil Santos).

Em 1997 lançou pelo selo Movieplay o CD "Em Tempo de Bolero", com clássicos do gênero como "Estou Pensando Em Ti" e "Palavra de Carinho" (Raul Sampaio e Benil Santos) e "Sonhar Contigo" (Armelindo Leandro e Adilson Ramos).

Em 1998 gravou pela Columbia Records o CD "Miltinho Convida", reunindo participações especiais de Chico Buarque, Fafá de Belém, Nana Caymmy, Dóris Monteiro, Elza Soares, Martinho da Vila, MPB 4, João Bosco, Emílio Santiago, João Nogueira e Tito Madi, em dueto com ele em músicas como "Menina Moça" (Luiz Antônio), "Notícia de Jornal" (Luiz Reis e Haroldo Barbosa) e "Bolinha de Papel" (Geraldo Pereira).

Seus maiores sucessos foram composições de Luís Antônio como "Mulher de Trinta", "Eu e o Rio", "Poema das Mãos", "Menina Moça", "Poema do Adeus", "Ri", "A Canção Que Virou Você", "Volta", "Devaneio", "Recado", "Lamento" e "Murmúrio", e também uma parceria de Luís Antônio com Djalma Ferreira intitulada "Cheiro de Saudade".

Gravou também com sucesso a dupla Luíz Reis e Haroldo Barbosa como os já clássicos "Canção da Manhã Feliz", "Palhaçada", "Notícia de Jornal", "Meu Nome é Ninguém", "Só Vou de Mulher", "Convencionemos" e "Momentos".

Da dupla Raul Sampaio e Benil Santos registrou com igual êxito "Lembranças" e "Estou Só". Fez também sucesso com "Poema do Olhar" (Jair Amorim e Evaldo Gouveia) e "Mulata Assanhada" (Ataulfo Alves). Gravou alguns discos em espanhol que lhe renderam fama em países da América Latina.

Em 2003, apresentou-se com Dóris Monteiro no Centro Cultural Banco do Brasil no show "Estamos Aí".

"Eu não sou astro de coisa nenhuma. Sou apenas um mero cantor de samba. O que me honra muito!"
(Miltinho)

Morte

Miltinho morreu no domingo, 07/09/2014, no Rio de Janeiro, aos 86 anos. Segundo uma de suas filhas, Sandra Vergara, o cantor foi vítima de uma parada cardíaca no Hospital do Amparo, no Rio Comprido, Zona Norte do Rio de Janeiro, onde estava internado havia dois meses em tratamento de um problema pulmonar.

O velório será realizado das 09:00 hs às 17:00 hs de segunda-feira, 08/09/2014, na Capela 3 do Memorial do Carmo, Zona Portuária do Rio de Janeiro.

Miltinho deixou três filhos e cinco netos.

De acordo com a filha de Miltinho, ele havia parado de fazer shows há quatro anos, desde quando foi diagnosticado com princípio do mal de Alzheimer.

Discografia


  • 1998 - Miltinho Convida (Globo Columbia, CD)
  • 1997 - Em Tempo de Bolero (Movieplay, CD)
  • 1986 - Miltinho (Inverno e Verão, LP)
  • 1976 - Miltinho (Odeon, LP)
  • 1974 - Miltinho (Odeon, LP)
  • 1973 - Dóris, Miltinho e Charme Vol. 4 (Odeon, LP)
  • 1972 - Dóris, Miltinho e Charme Vol. 3 (Odeon, LP)
  • 1971 - Novo Recado (Odeon, LP)
  • 1971 - Dóris, Miltinho e Charme Vol. 2 (Odeon, LP)
  • 1970 - Dóris, Miltinho e Charme (Odeon, LP)
  • 1970 - Miltinho e a Seresta (Odeon, LP)
  • 1969 - Miltinho, Samba & Cia (LP)
  • 1969 - Elza, Miltinho e Samba Vol. 3 (LP)
  • 1968 - As Mulheres de Miltinho (LP)
  • 1968 - Elza, Miltinho e Samba Vol. 2 (LP)
  • 1967 - Elza, Miltinho e Samba (Odeon, LP)
  • 1967 - Miltinho, Samba e Cia (Odeon, LP)
  • 1966 - Samba + Samba = Miltinho (Odeon, LP)
  • 1965 - Miltinho ao Vivo (RGE, LP)
  • 1965 - Poema do Fim (RGE, LP)
  • 1964 - Canção do Nosso Amor (RGE, LP)
  • 1964 - Bossa & Balanço (RGE, LP)
  • 1964 - Eu... Miltinho (RGE, LP)
  • 1963 - Zé da Conceição / E o Tempo Passou (RGE, 78)
  • 1963 - Distância / E Amanhã... (RGE, 78)
  • 1963 - Poema do Olhar (RGE, LP)
  • 1963 - Miltinho é Samba (RGE, LP)
  • 1963 - Os Grandes Sucessos de Miltinho (RGE, LP)
  • 1962 - Meu Nome é Ninguém / Lembranças (RGE, 78)
  • 1962 - Saudade Ferida / Dezessete e Setecentes (RGE, 78)
  • 1962 - Confidência / Chorando, Chorando (RGE, 78)
  • 1962 - Poema do Olhar / Fio de Canção (RGE, 78)
  • 1962 - Canção da Mamãe Feliz / Falso (RGE, 78)
  • 1962 - Poema do Adeus (RGE, LP)
  • 1961 - Volta / Murmúrio (RCA Victor, 78)
  • 1961 - Miltinho (RCA Victor, LP)
  • 1961 - Poema do Adeus / A Canção Que Virou Você (RGE, 78)
  • 1961 - Poema das Mãos / Só Vou de Mulher (RGE, 78)
  • 1960 - Um Novo Astro (Sideral, LP)
  • 1960 - O Diploma do Astro (Sideral, LP)
  • 1960 - Ri / Mulher de Trinta (Sideral, 78)
  • 1960 - Menina Moça / Eu e o Rio (Sideral, 78)

Indicação: Miguel Sampaio

Um comentário:

  1. Valeu Miltinho Voce Marcou uma epoca não precisava da midia para sobreviver.Tinha Dignidade foi grande vai com Deus.

    ResponderExcluir

Atenção!

Prezado amigo leitor, a partir desta data, 13/05/2019, não serão mais aceitos comentários anônimos. Portanto, não me responsabilizarei pelos comentários que alguém possa vir a fazer denegrindo a imagem de quem quer que seja e que esteja publicada neste blog.

Antes de fazer o seu comentário, se identifique e se responsabilize.

Desde já fico grato!