Célia

CÉLIA REGINA CRUZ
(70 anos)
Cantora

☼ São Paulo, SP (08/09/1947)
┼ São Paulo, SP (29/09/2017)

Célia Regina Cruz, mais conhecida como Célia, foi uma cantora brasileira nascida em São Paulo, SP, no dia 08/09/1947.

Célia estudou violão clássico e popular, harmonia, teoria e composição. Ela foi revelada em 1970 no programa de televisão "Um Instante, Maestro!", comandado pelo controvertido apresentador Flávio Cavalcanti.

Célia tornou-se conhecida com a gravação de "Onde Estão Os Tamborins", na década de 1970. Vendeu mais de 70 mil cópias e ganhou diversos prêmios como o Roquete Pinto e o Elena Silveira, além de vários discos de ouro.

Em 1971, gravou seu primeiro LP, "Célia", contendo as faixas "To Be" (Joyce), "Abrace Paul McCartney" (Joyce), "David" (Nelson Ângelo), "Zózoio - Como É Que É" (Nelson Ângelo), "Blues" (Joyce e Capinan), "No Clarão Da Lua Cheia" (Ivan Lins e Ronaldo Monteiro), "Durango Kid" (Toninho Horta e Fernando Brant), "Pelo Teletipo" (Ruy Maurity e José Jorge), "Adeus Batucada" (Sinval Silva), "Para Lennon e McCartney" (Márcio Borges, Lô BorgesFernando Brant) e "Fotograma" (Antônio Adolfo e Tibério Gaspar). Este disco foi contemplado com vários prêmios.

Lançou mais um disco em 1972, registrando as canções "A Hora É Essa" (Roberto Carlos e Erasmo Carlos), "Detalhes" (Roberto Carlos e Erasmo Carlos), "Toda Quarta-Feira Depois Do Amor" (Luís Carlos Sá e Zé Rodrix), "Vida De Artista" (Luís Carlos SáZé Rodrix), "Dominus Tecum" (Marcos Valle e Paulo Sérgio Valle), "Ay Adelita" (Piry Reis e João Carlos Pádua), "Mia" (Armando Manzanero), "Na Boca Do Sol" (Arthur Verocai e Vítor Martins), "Em Família" (Tom e Dal), "É Preciso Dizer Adeus" (Tom Jobim e Vinícius de Moraes), "Dez Milhões De Neurônios" (Paulinho Nogueira e Zezinho Nogueira) e "Badalação (Bahia Volume 2)" (Nonato Buzar, Tom e Dito). Em seguida, participou de festivais de música realizados na Venezuela e no Uruguai.


Em 1975, gravou novo LP, contendo as faixas "Eu Te Amo Amor" (Francis HimeVinícius de Moraes), "Saudade De Amar" (Francis Hime e Vinícius de Moraes), "Não Há Porque" (Ivan Lins e Vitor Martins) e "Preciso De Silêncio" (Ivan Lins e Vitor Martins), "Pomba Branca" (Max e Vasco de Lima Couto), "Camisa Amarela" (Ary Barroso), "Samba-Canção Antigo" (Tito Madi), "Amor De Mentira" (Benito de Paula), "Canção Morrendo De Saudade" (Sérgio Bittencourt) e "Onde Estão Os Tamborins?" (Pedro Caetano).

Lançou, em 1977, seu quarto LP, registrando os sambas "Violão Amigo" (Bide e Marçal), "A Primeira Vez" (Bide e Marçal), "Mãe, Eu Juro" (Peteleco e Marques Filho), "A Mesma Estória" (Cartola e Élton Medeiros), "Eu Queria" (Mário Rossi e Roberto Martins), "Era Ela" (Peterpan e Russo do Pandeiro), "Meu Pranto Ninguém Vê" (Ataulfo Alves e Zé da Zilda), "Folhas Ao Ar" (Élton Medeiros e Hermínio Bello de Carvalho), "Ao Ouvir Esta Canção... Hás De Pensar Em Mim" (Francisco Mattoso e José Maria de Abreu), "Minhas Madrugadas" (Candeia e Paulinho da Viola), "O Que Se Leva Dessa Vida" (Pedro Caetano), "Eu Gosto De Pandeiro" (Zé da Zilda e Zilda do Zé), "Mundo De Zinco" (Wilson Batista e Nássara) e "Minha Embaixada Chegou" (Assis Valente). Nesse mesmo ano, estreou, no Teatro Pixinguinha, em São Paulo, o show "Por Um Beijo", em cartaz durante seis meses.

Em 1979, apresentou-se pelo Brasil pelo Projeto Pixinguinha, ao lado de Paulo Moura.

Gravou, em 1982, o LP "Amor", contendo as canções "Ave Perdida" (Francisco de Assis), "Fogo Por Favor" (Francisco de Assis), "Eu Te Amo" (Tom Jobim e Chico Buarque), "O Que Se Leva Dessa Vida" (Pedro Caetano), "Violão Amigo" (Bide e Marçal), "Mãe, Eu Juro" (Peteleco e Marques Filho), "Guarânia, Guarani" (Taiguara), "Onde Está Você" (Oscar Castro-Neves e Luvercy Fiorini), "Folhas No Ar" (Élton Medeiros e Hermínio Bello de Carvalho), "Ao Ouvir Esta Canção... Hás De Pensar Em Mim" (Francisco Mattoso e José Maria de Abreu), além da faixa-título, "Amor" (Ivan Lins e Vítor Martins).

Paulo Moura e a cantora Célia durante excursão do Projeto Pixinguinha em 1979
Em 1980, lançou o LP "Meu Caro", registrando "Açucena" (Ivan Lins e Vítor Martins), "Barcos" (Fernando de Oliveira e Rosa Passos), "Água De Moringa" (Wilson Moreira e Nei Lopes), "Não Houve Nada" (Filó e Sérgio Natureza), "Jardineiro" (Luiz Avellar e Fátima Guedes), "Por Uma Mulher" (Djavan), "Vuelve Mi Luz" (Sueli Costa e Capinan), "Sina De Cantor" (Tunai e Sérgio Natureza), "O Que Arde Cura" (Nathan Marques e Ana Terra), "Quem Tem Telhado De Vidro Está Sempre Bronzeado" (Aécio Flávio e Eliana Stoducto), além da faixa-título "Meu Caro" (Elodi).

Ainda na década de 1980, fez shows em teatros e casas noturnas, notadamente em São Paulo, entre os quais "Toda Delícia" (1980), "Fogo, Por Favor" (1982), "Força" (1983), ao lado de Rosa Maria e Miriam Batucada, e "Vento Bravo" (1984).

Em 1991, estreou o espetáculo "A Louca Do Bordel".

Lançou em 1993, o CD "Louca De Saudade", contendo as faixas "Passo Marcado" (Lula Barbosa e Ary Marcos), "Moleca" (Lula Barbosa e Ary Marcos), "Rio de Janeiro (Isto é o Meu Brasil)" (Ary Barroso), "Falando De Amor" (Tom Jobim), "2001 e Índio" (João Bosco e Aldir Blanc), "Guacyra" (Joracy Camargo e Hekel Tavares), "Não Vou Sair" (Celso Viáfora), "No Mesmo Colar" (Moacyr Luz, Aldir Blanc e Paulo Emílio), "Ave Maria" (Jayme Redondo e Vicente Paiva), "Na Minha Vez" (Amilson Godoy), "Geração" (Guilherme Rondon e Paulo Simões), "América Brasil" (Ivan Lins e Vítor Martins) e "Onde Estão Os Tamborins" (Pedro Caetano).

Dois anos depois, em 1995, atuou no espetáculo "Os Gordos Também Amam", dividindo o palco com José Maurício Machline.

Em 1996, comemorando 25 anos de carreira, apresentou no Espaço Vinicius de Moraes, em São Paulo, o espetáculo "Célia e Banda Son Caribe", cantando salsas, mambos e merengues.

Célia dividiu o palco do Tom Brasil, em São Paulo, com Zé Luiz Mazziotti, em 1998, no show "Ame", contendo um repertório de clássicos da música popular brasileira. Participou, também, de inúmeros shows a bordo de navios internacionais, em rotas turísticas pela costa brasileira e outros países da América Latina.


Em 2000, lançou, com Zé Luiz Mazziotti, o CD "Pra Fugir Da Saudade", contendo exclusivamente sambas de Paulinho da Viola: "Pra Fugir Da Saudade", "Onde a Dor Não Tem Razão""Timoneiro", "Cantoria", "Cadê a Razão", "Coração Leviano", "Minhas Madrugadas", "Tudo Se Transformou", "Coisas do Mundo Minha Nêga", "Argumento", "Pode Guardar As Panelas" e "Só o Tempo".

Em 2007, lançou, com o violonista Dino Barioni, o CD "Faço No Tempo Soar Minha Sílaba", contendo as canções "Muito Romântico" (Caetano Veloso), "Disritmia" (Martinho da Vila), "Geraldinos e Arquibaldos" (Gonzaguinha) e "Serra da Boa Esperança" (Lamartine Babo), entre outras. O disco contou com a participação de Zélia Duncan, Beth Carvalho, Dominguinhos, Lucinha Lins e Quinteto em Branco e Preto.

Celebrando 40 anos de carreira, Célia lançou, em 2010, o CD "Célia 40 Anos - O Lado Oculto Das Canções". No repertório as músicas "Vidas Inteiras" (Adriana Calcanhotto), canção incluída na trilha sonora da novela "Passione" da TV Globo, "Eternamente" (Tunai e Sérgio Natureza), "Vinho Antigo" (Cláudio Rabello e Dalto), "Não Vou Ficar" (Tim Maia), "Aqui" (Ana Carolina e Antônio Villeroy), "Desejo De Mulher" (Zélia Duncan e Hamilton de Holanda), "Se Não For Por Amor" (Benito Di Paula), "Cigarro" (Zeca Baleiro), "Apelo" (Baden Powell e Vinícius de Moraes), "Cantiga De Quem Está Só" (Jair Amorim e Evaldo Gouveia), "Êxtase" (Guilherme Arantes), "Meu Benzinho" (Ângela Ro Ro), "Não Se Vá" (Versão de Thina para música de Alain Bellec) e "Sonhos" (Peninha). O disco contou com a participação de Ogair Jr. (piano), Marcos Paiva (contrabaixo acústico), Dino Barioni (violão), Thadeo Romano (bandoneón), Toninho Ferragutti (acordeom), Nelton Essi (percussão), além de Ney Matogrosso, em dueto com a cantora na faixa "Não Se Vá".

Célia fez shows pelo Brasil, Itália, França e países da América Latina, chegando a fazer uma apresentação para o príncipe Rainier III em Mônaco.

Célia ficou quatro semanas liderando o programa "Qual é a Música?" do Programa Sílvio Santos.

Morte

Célia faleceu na noite de sexta-feira, 29/09/2017, aos 70 anos, em São Paulo, SP, vítima de câncer. Ela estava internada há cerca de um mês no Hospital Sancta Maggiore para o tratamento deste câncer.

O velório foi realizado na manhã de sábado, 30/09/2017, de 9h00 às 15h00 no Cemitério do Araçá, em São Paulo, e depois o corpo seguiu para a cremação no Cemitério da Vila Alpina.

Discografia

  • 2015 - Aquilo Que a Gente Diz (Independente / Tratore, CD)
  • 2010 - Célia 40 Anos - O Lado Oculto Das Canções (Som Livre, CD)
  • 2007 - Faço No Tempo Soar Minha Sílaba - Célia e Dino Barioni (Lua Music, CD)
  • 2000 - Pra Fugir Da Saudade - Célia e Zé Luis Mazziotti (CD)
  • 1993 - Louca De Saudade (Velas, CD)
  • 1983 - Meu Caro (Pointer, LP)
  • 1982 - Amor (Continental, LP)
  • 1977 - Célia (Continental, LP)
  • 1975 - Célia (Continental, LP)
  • 1972 - Célia (Continental, LP)
  • 1971 - Célia (Continental, LP)

Fonte: Wikipédia
Indicação: Miguel Sampaio
#FamososQuePartiram #Celia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção!

Prezado amigo leitor, a partir desta data, 13/05/2019, não serão mais aceitos comentários anônimos. Portanto, não me responsabilizarei pelos comentários que alguém possa vir a fazer denegrindo a imagem de quem quer que seja e que esteja publicada neste blog.

Antes de fazer o seu comentário, se identifique e se responsabilize.

Desde já fico grato!