Consuelo Leandro

MARIA CONSUELO DA COSTA ORTIZ NOGUEIRA
(67 anos)
Atriz e Humorista

* Lorena, SP (27/05/1932)
+ São Paulo, SP (05/07/1999)

Maria Consuelo da Costa Ortiz Nogueira, que adotou o nome artístico de Consuelo Leandro em homenagem à avó Consuelo e ao avô Leandro, nasceu em Lorena, interior de São Paulo, em 27 de maio de 1932.

Aos 11 anos, mudou-se com a família para o Rio de Janeiro, onde fez balé clássico no Teatro Municipal e seu primeiro papel nos palcos veio no Teatro do Estudante. Entre 1949 e 1950, fez teatro amador, com Paschoal Carlos Magno e percebeu sua veia cômica durante uma apresentação da peça "O Aniversário", de Tchecov, quando a plateia caia na gargalhada quando ela entrava em cena.

Com o sucesso da apresentação, Consuelo Leandro se viu com duas opções para iniciar uma carreira profissional: o Teatro de Revista ou a comédia. Ela optou pela primeira e, em 1953, estreou, com a Companhia Zico Ribeiro, a peça "Carrossel de Mulheres", em Copacabana, Rio de janeiro.

Depois da estréia no teatro, Consuelo Leandro partiu para o rádio e sua voz ficou famosa no Brasil todo por meio da Rádio Nacional, onde ela fazia radioteatro e o humorístico "Balança Mas Não Cai", mais tarde adaptado para televisão.

Seu primeiro filme foi "Três Recrutas", de Eurípedes Ramos. Ao todo fez mais de 20 filmes, dirigida por grandes nomes do cinema nacional nas décadas de 1950 e 1960, sendo vários deles como protagonista. Mas sua participação mais comentada veio no final da década de 1970 quando fez "O Bem Dotado, o Homem de Itu" ao lado de Nuno Leal Maia e grande elenco.

Conhecida pelo seu jeito debochado, pelas caretas e risadas altas, Consuelo Leandro se destacou na TV em humorísticos como "Noites Cariocas", "Praça da Alegria", "A Praça é Nossa" (fazia a Cremilda, a esnobe mulher do marido Oscar) e "A Escolinha do Golias", no SBT. Na mesma emissora, participou também da novela "Brasileiras e Brasileiros" e na TV Globo, participou de "Cambalacho", novela de Sílvio de Abreu onde viveu a inesquecível Lili Bolero.


Ela foi casada duas vezes e não teve filhos. A primeira com o também comediante Agildo Ribeiro e a segunda com Stephan Gardemann.

Em 1987, Consuelo Leandro foi submetida a uma cirurgia de emergência para a implantação de três Pontes de Safena no coração. Ela já sofria de insuficiência coronária.

No dia 5 de julho de 1999, morreu vítima de insuficiência coronária, em São Paulo.

Fonte: Wikipédia 
#FamososQuePartiram #ConsueloLeandro

4 comentários:

  1. Consuelo Leandro devia ser relembrada na TV.

    ResponderExcluir
  2. Na minha opinião, comediantes deviam viver 150 anos! Eu não entendo as emissoras de tv no nosso país! Existe tanto material gravado desses nossos ícones da comédia, por que não resgatam esses momentos hilariantes para que possamos rever e mostrar aos nossos filhos e netos, como o Brasil já foi mais feliz e mais alegre!

    ResponderExcluir
  3. Uma das mulheres mais cultas que conheci. Explanava sobre história da arte, dos povos e sobre personalidades com muita desenvoltura! um ser humano incrivel!

    ResponderExcluir
  4. A impressão que eu tenho dela é que interpretava a si mesma!! Inteligente, debochada ! Era risada certa até em entrevistas !
    Saudades !

    ResponderExcluir

Atenção!

Prezado amigo leitor, a partir desta data, 13/05/2019, não serão mais aceitos comentários anônimos. Portanto, não me responsabilizarei pelos comentários que alguém possa vir a fazer denegrindo a imagem de quem quer que seja e que esteja publicada neste blog.

Antes de fazer o seu comentário, se identifique e se responsabilize.

Desde já fico grato!